Home Notícias Brasil Pai de aluna da escola em Suzano morre baleado por criminosos na saída de shopping

Pai de aluna da escola em Suzano morre baleado por criminosos na saída de shopping

ATUALIZAÇÃO às 17h20 de 20/3/2019: Ao contrário do que foi divulgado inicialmente, a filha da vítima não estava no momento do massacre em Suzano, apesar de ser aluna da instituição de ensino.

O segurança Maurício Martins dos Santos, de 38 anos, morreu em uma tentativa de assalto no Shopping Metrô Itaquera, em São Paulo (SP), na última sexta-feira (15). Ele era pai de uma jovem que estuda na escola palco do massacre de Suzano (relembre aqui), e foi surpreendido pelos criminosos quando saía do trabalho. Os autores foram presos.

Segundo a PM, o segurança do centro comercial foi abordado pelos criminosos por volta das 17h30 no estacionamento do empreendimento. Eles exigiram que a vítima entregasse a motocicleta e a arma, que foi usada para matá-lo.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e chegou a socorrer o segurança, que acabou morrendo no hospital.

A esposa da vítima, Tatiane Azevedo, desmentiu ao BHAZ a informação divulgada inicialmente de que a filha estava no momento do massacre e que seria levada ao psicólogo.

“Minha filha não é uma sobrevivente do massacre. Ela faz apenas curso de línguas na escola Raul Brasil. No dia que tudo aconteceu ela não estava lá. E meu marido também não iria levá-la ao psicólogo”.

Os autores foram identificados como Gustavo Santos da Silva, de 22 anos, Marcos Henrique Nakamura, de 24, e Wesley Lima, de 20. De acordo com a Polícia Civil, eles foram flagrados por câmeras de segurança do local. O caso é investigado pelo 65º Distrito Policial, no bairro Artur Alvim, região Leste da capital.

O shopping enviou uma nota, ao portal G1, de apoio aos familiares e afirma que está ajudando nas investigações. “O Shopping Metrô informa que prestou todo atendimento de primeiros socorros e encaminhou a vítima ao hospital mais próximo, vindo posteriormente a falecer. O shopping transmite sua solidariedade aos familiares do prestador de serviço. O Itaquera reitera que colabora com as autoridades locais e que funciona normalmente”.

Comentários