Home NotíciasBHMais de 300 bicicletas desativadas: Estações Bike BH serão extintas do Centro

Mais de 300 bicicletas desativadas: Estações Bike BH serão extintas do Centro

Vitor Fórneas e Rafael D’Oliveira

A partir desta quarta-feira (10) as 34 estações de bicicletas localizadas na região do Centro de Belo Horizonte serão desativadas. Ao todo, 340 bicicletas vão sair de circulação na área central.

Leia mais: Estudo confirma eficácia da vacina chinesa contra Covid-19, diz Butantan

A desativação vai ocorrer por conta do encerramento do contrato que a BHTrans mantinha com a empresa Serttel, que mantinha o serviço de bikes compartilhadas na capital.

Agora, a empresa deve manter o serviço apenas na orla da Lagoa
da Pampulha, onde serão instaladas mais oito estações, complementando as 6 que
já existem no local, subindo o número para 14.

“Atualmente há 60 bicicletas na Pampulha. As bicicletas de
todas as estações da cidade serão recolhidas. Um novo projeto está sendo
desenvolvido pela Serttel para o sistema de compartilhamento de bicicletas
públicas em Belo Horizonte na Pampulha. Serão 14 estações e 100 bicicletas
disponibilizadas”, diz a Serttel.

Leia mais: Mulher é sequestrada enquanto dirigia em Venda Nova

Os usuários que tinham passe ativo poderão utilizá-lo no
novo projeto da empresa na Pampulha, ou solicitar estorno. Para o ressarcimento
o usuário precisa entrar em contato com a empresa por meio dos canais de
atendimento: 4003 9847 ou bikebh@movesamba.com.

Contrato

O contrato com a Serttel estava em vigor desde abril de 2013 e tinha a duração de 60 meses. Em janeiro, a prefeitura abriu dois chamamentos públicos para a implantação, instalação, manutenção e operação de Sistemas de Compartilhamento de Bicicletas.

340 bikes sairão de circulação na área central (Amanda Dias/BHAZ)

Com a publicação dos dois chamamentos, a PBH alterou a forma
de contratação de empresas para prestação de serviços de compartilhamento de
bicicletas, em relação ao Sistema Bike BH, permitindo a operação por parte de
mais de uma empresa e de mais de um sistema, a exemplo do que já está ocorrendo
em outras cidades no Brasil e no mundo.

Diante do processo, a Serttel credenciou-se para prestação
de serviços de compartilhamento de bicicletas com estação apenas na orla da
Lagoa da Pampulha.

“O motivo que levou a Serttel a não continuar com o
gerenciamento do programa por toda a cidade é a falta de viabilidade financeira
e técnica. Diferentemente da Pampulha, que apresenta uma demanda de uso muito
interessante”, explica a empresa.

Não houve empresas interessadas na operação de sistemas em outras
áreas da cidade. Segundo a prefeitura, “a BHTrans poderá, a qualquer momento,
republicar o Chamamento Público para operar o sistema de compartilhamento de
bicicletas com estação no município, assunto que está sendo avaliado pela
empresa”.

Outras empresas

(reprodução/Facebook)

Em 2019, outras empresas começaram a operar sistemas de
mobilidade na capital. Em janeiro, a Yellow começou a operar com 500 bicicletas
sem estações fixas e 250 patinetes elétricas.

Já em março, a empresa Grin também trouxe patinetes elétricos para o Centro de BH. No entanto, não estudo para implementação de bicicletas, explica a marca. A Yellow e a Grin não informam o número de equipamentos disponíveis.

Em nota, a Serttel informou que a chegada de novas empresas não
foi um fator determinante para a saída da empresa da área central. “A mobilidade
urbana é uma tendência no mundo todo. Cabe ao poder público acompanhar e
fiscalizar o processo de implantação de cada uma delas”, disse.

Comentários