Home NotíciasBHEstudantes protestam pelas ruas de BH contra bloqueio de recursos na educação; atos estão por todo o país

Estudantes protestam pelas ruas de BH contra bloqueio de recursos na educação; atos estão por todo o país

ATUALIZAÇÃO ÀS 12H22: Matéria atualizada às 12h22 com novas imagens, posição da Polícia Militar e da União Estadual dos Estudantes de Minas Gerais (UEE-MG).

Estudantes realizam manifestação contra os cortes anunciados pelo governo federal na educação nesta quarta-feira (15). Pelas ruas de Belo Horizonte, os manifestantes saíram de vários pontos da cidade rumo ao Centro. Eles marcharam até a Praça Sete e a Praça da Estação. Os atos acontecem em todo o país (veja abaixo).

Convocados por entidades como a União Nacional dos Estudantes (UNE) e a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), os atos também criticam a possibilidade de extinção da vinculação constitucional que assegura recursos para o setor e a proposta de reforma da Previdência

Na capital mineira, os estudantes do Centro Federal de Ensino Tecnológico de Minas Gerais (Cefet-MG) saíram da avenida Amazonas e estão em direção ao Centro.

BHTrans/Reprodução

O trânsito é lento nas vias em que eles passam e os agentes da BHTrans acompanham a manifestação. Com a previsão de chuva para esta tarde, motoristas devem se manter alertas e evitar locais centrais.

Grande parte dos manifestantes se concentrou na Praça da Estação, em BH
(Júlio Lôbo/Especial para o BHAZ)

De acordo com a dirigente da União Estadual dos Estudantes de Minas Gerais (UEE-MG), Luanna Ramalho, esse é um ato da paralisação nacional, em todo o país, unificado com os trabalhadores. Segundo ela, o movimento é contra o “desmonte da educação que está sendo implementado, com corte grande, de 30% nos orçamentos”.

“Esse corte vai contra o desenvolvimento nacional, vai na contramão da criação de empregos, num país com 13 milhões de desempregados e que precisa superar essa crise econômica em que vive. E acreditamos que a educação é esse caminho, de superar qualquer crise no Brasil”, disse.

Segundo a dirigente da UEE-MG, os recentes cortes em bolsas de pesquisa da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e da Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig) colocam em xeque o desenvolvimento do país e de Estado. “A pesquisa como um todo está sob ataque. E isso a meu ver vai gerar um caos na sociedade, pois sem desenvolvimento científico, sem pesquisa, estamos dando passos muito largos para trás na história do país”, acrescentou.

Segundo Luanna Ramalho, a UEE-MG mobilizou escolas técnicas e secundaristas, das redes públicas municipal e estadual, além das universidades da capital. As organizações do ato falam em um público de mais de 200 mil pessoas nas avenidas centrais de Belo Horizonte.

Assista a um dos vídeos feitos no fim da manhã desta quarta-feira (14):

(Thomaz Albano/Especial para BHAZ)

Nas redes sociais, estudantes e professores do ensino federal, estadual e municipal organizaram os atos, que também é uma forma de protesto contra a reforma da Previdência, cujo texto tramita no Congresso Nacional.

O que motiva as manifestações é o bloqueio de 30% das verbas das universidades e institutos federais anunciadas pelo ministro da Educação, Abraham Weitraub. Esse corte também afeta a educação básica. Por conta disso, a comunidade escolar organizou os protestos em todo o país.

Para explicar os bloqueios nos recursos, Weitraub vai hoje ao plenário da Câmara dos Deputados para justificar a ação tomada pela pasta.

Em Minas Gerais, além do Cefet-MG, universidades federais e institutos federais aderiram à greve. Confira as instituições de ensino que participam do ato:

  • Universidade Federal de Ouro Preto
  • Universidade Federal de Juiz de Fora e IFMG
  • Universidade Federal de Lavras
  • Universidade Federal de Uberlândia
  • Universidade Federal de São João del Rei
  • Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais
  • Universidade Federal de Itajubá
  • Universidade Federal de Minas Gerais
  • Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais
  • Universidade Federal dos Vales de Jequitinhonha e Mucuri
  • Instituto Federal de Minas Gerais
  • Universidade Federal de Viçosa

A Polícia Militar de Minas informou que continua realizando o acompanhamento da manifestação e até o momento a situação é tranquila, sem nenhuma ocorrência. Sobre a estimativa de público pelas ruas da capital, a PM informou que não faz mais estimativa de público em eventos.

Protestos pelo país

Com a hashtag #TsunamiDaEducação e #UniversidadesContraBolsonaro, internautas de todo o Brasil publicam imagens e textos de inúmeros protestos pelo país.

Colaborou Thomaz Albano. Com informações da Agência Brasil.

Vitor Fórneas

Vitor Fórneas

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política.

Comentários