Home Notícias BH Estudantes protestam pelas ruas de BH contra bloqueio de recursos na educação; atos estão por todo o país

Estudantes protestam pelas ruas de BH contra bloqueio de recursos na educação; atos estão por todo o país

ATUALIZAÇÃO ÀS 12H22: Matéria atualizada às 12h22 com novas imagens, posição da Polícia Militar e da União Estadual dos Estudantes de Minas Gerais (UEE-MG).

Estudantes realizam manifestação contra os cortes anunciados pelo governo federal na educação nesta quarta-feira (15). Pelas ruas de Belo Horizonte, os manifestantes saíram de vários pontos da cidade rumo ao Centro. Eles marcharam até a Praça Sete e a Praça da Estação. Os atos acontecem em todo o país (veja abaixo).

Convocados por entidades como a União Nacional dos Estudantes (UNE) e a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), os atos também criticam a possibilidade de extinção da vinculação constitucional que assegura recursos para o setor e a proposta de reforma da Previdência

Na capital mineira, os estudantes do Centro Federal de Ensino Tecnológico de Minas Gerais (Cefet-MG) saíram da avenida Amazonas e estão em direção ao Centro.

BHTrans/Reprodução

O trânsito é lento nas vias em que eles passam e os agentes da BHTrans acompanham a manifestação. Com a previsão de chuva para esta tarde, motoristas devem se manter alertas e evitar locais centrais.

Grande parte dos manifestantes se concentrou na Praça da Estação, em BH
(Júlio Lôbo/Especial para o BHAZ)

De acordo com a dirigente da União Estadual dos Estudantes de Minas Gerais (UEE-MG), Luanna Ramalho, esse é um ato da paralisação nacional, em todo o país, unificado com os trabalhadores. Segundo ela, o movimento é contra o “desmonte da educação que está sendo implementado, com corte grande, de 30% nos orçamentos”.

“Esse corte vai contra o desenvolvimento nacional, vai na contramão da criação de empregos, num país com 13 milhões de desempregados e que precisa superar essa crise econômica em que vive. E acreditamos que a educação é esse caminho, de superar qualquer crise no Brasil”, disse.

Segundo a dirigente da UEE-MG, os recentes cortes em bolsas de pesquisa da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e da Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig) colocam em xeque o desenvolvimento do país e de Estado. “A pesquisa como um todo está sob ataque. E isso a meu ver vai gerar um caos na sociedade, pois sem desenvolvimento científico, sem pesquisa, estamos dando passos muito largos para trás na história do país”, acrescentou.

Segundo Luanna Ramalho, a UEE-MG mobilizou escolas técnicas e secundaristas, das redes públicas municipal e estadual, além das universidades da capital. As organizações do ato falam em um público de mais de 200 mil pessoas nas avenidas centrais de Belo Horizonte.

Assista a um dos vídeos feitos no fim da manhã desta quarta-feira (14):

(Thomaz Albano/Especial para BHAZ)

Nas redes sociais, estudantes e professores do ensino federal, estadual e municipal organizaram os atos, que também é uma forma de protesto contra a reforma da Previdência, cujo texto tramita no Congresso Nacional.

O que motiva as manifestações é o bloqueio de 30% das verbas das universidades e institutos federais anunciadas pelo ministro da Educação, Abraham Weitraub. Esse corte também afeta a educação básica. Por conta disso, a comunidade escolar organizou os protestos em todo o país.

Para explicar os bloqueios nos recursos, Weitraub vai hoje ao plenário da Câmara dos Deputados para justificar a ação tomada pela pasta.

Em Minas Gerais, além do Cefet-MG, universidades federais e institutos federais aderiram à greve. Confira as instituições de ensino que participam do ato:

  • Universidade Federal de Ouro Preto
  • Universidade Federal de Juiz de Fora e IFMG
  • Universidade Federal de Lavras
  • Universidade Federal de Uberlândia
  • Universidade Federal de São João del Rei
  • Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais
  • Universidade Federal de Itajubá
  • Universidade Federal de Minas Gerais
  • Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais
  • Universidade Federal dos Vales de Jequitinhonha e Mucuri
  • Instituto Federal de Minas Gerais
  • Universidade Federal de Viçosa

A Polícia Militar de Minas informou que continua realizando o acompanhamento da manifestação e até o momento a situação é tranquila, sem nenhuma ocorrência. Sobre a estimativa de público pelas ruas da capital, a PM informou que não faz mais estimativa de público em eventos.

Protestos pelo país

Com a hashtag #TsunamiDaEducação e #UniversidadesContraBolsonaro, internautas de todo o Brasil publicam imagens e textos de inúmeros protestos pelo país.

Colaborou Thomaz Albano. Com informações da Agência Brasil.

Vitor Fórneas

Vitor Fórneas

Jornalista no Portal Bhaz

Comentários