Home Notícias BH Kalil é o prefeito de capital com maior salário no Brasil e não pensa em reduzir valores

Kalil é o prefeito de capital com maior salário no Brasil e não pensa em reduzir valores

O prefeito Alexandre Kalil (PSD) tem o maior salário das capitais do país. Levantamento feito pelo G1, em portais da transparência, aponta que o chefe do Executivo de Belo Horizonte recebe mensalmente R$ 31.061,47.

Além de Kalil, os prefeitos Gean Loureiro – Florianópolis – e Iris Rezende – Goiânia – fecham o “top 3” dos salários mais altos. Confira os cinco maiores vencimentos de prefeitos de capitais:

  • Alexandre Kalil – Belo Horizonte – R$ 31.061,47
  • Gean Loureiro – Florianópolis – R$ 26.385
  • Iris Rezende – Goiânia – R$ 25.865
  • Edvaldo Holanda Junior – São Luiz – R$ 25 mil
  • Antonio Carlos Magalhães Neto – Salvador – R$ 24.875

Na capital mineira, o último reajuste no salário de prefeito ocorreu em 2016, ainda na gestão de Marcio Lacerda. O aumento foi determinado no último dia de sua gestão.

Naquela oportunidade, os vencimentos saltaram de R$ 24 mil para os atuais R$ 31 mil, o que representou um acréscimo de 25,86%. No Diário Oficial do Município (DOM), o aumento foi publicado com a justificativa de que os subsídios de alto escalão da Prefeitura (PBH) estavam defasados desde 2012.

Perguntada pelo BHAZ se há algum projeto por parte do prefeito para que o salário seja reduzido, a Prefeitura (PBH) informou, via Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão, que não.

Apesar de Alexandre Kalil ser o prefeito mais bem pago das capitais, o vencimento dele não é o maior na PBH. O mesmo levantamento apontou que cinco trabalhadores recebem mais do que R$ 50 mil, 127 servidores entre R$ 40 e R$ 50 mil e 93 ganham de R$ 31.267 a R$ 40 mil. A PBH possui atualmente 43.344 servidores.

PBH se posiciona

Procurada pelo BHAZ, a PBH informou, via Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão, que desde que assumiu a prefeitura, Kalil não aumentou os vencimentos dos salários do Porder Executivo. “Esta gestão conferiu aumento de salários, principalmente para categorias da Saúde, Educação e Segurança Pública”, disse.

Ao reajustar os salários dessas categorias, a PBH disse que pretendia “corrigir as menores remunerações e corrigir distorções na carreira da Guarda Municipal que impedia que a maioria da categoria pudesse ter qualquer evolução na carreira”.

Com relação ao levantamento que diz sobre a existência de funcionários que recebem vencimentos maiores que o do prefeito, a PBH informou que “nenhum servidor recebe valores maiores que o do prefeito”. Segundo a PBH, isso é determinado pela Constituição Federal, no artigo 37.

Apesar disso, ponderou-se que em alguns meses alguém pode ter salário maior que Kalil devido à reajuste salarial e férias prêmio, por exemplo, mas que isso não acontece com frequência.

Comentários