DJ’s e empresários são alvo de operação por tráfico de drogas sintéticas em festas eletrônicas

PCMG/Divulgação

Fornecedores de drogas sintéticas que abastecem o Distrito Federal em larga escala, articulados com pessoas em Minas Gerais e Goiás, são alvo, na manhã desta segunda-feira (27), de uma operação conjunta das polícias civis dos dois estados e do Distrito Federal. A operação Tridente, com 130 policiais nas ruas, cumpre 50 mandados: 22 de prisão e 28 de busca e apreensão.

Entre os alvos, estão empresários e DJ´s de Brasília que promovem grandes festivais de música eletrônica, as chamadas raves. As suspeitas são de que eles se aproveitam do elevado número de frequentadores para comercializarem grande volume de drogas durante os eventos.

As investigações tiveram início há sete meses e indicam que os suspeitos têm uma complexa rede de distribuição em Brasília, utilizando-se, principalmente, de motoristas de aplicativo para a distribuição dos entorpecentes. Além disso, contam com empresas para “lavarem” o dinheiro obtido com a venda de drogas.

O objetivo, além de desarticular a organização criminosa de tráfico interestadual de drogas, é combater a corrupção, o crime organizado e crimes contra a administração pública.

Em Minas Gerais, a Polícia Civil informou que, até agora, prendeu quatro pessoas – três homens e uma mulher grávida, que foi encaminhada ao Instituto Médico Legal para exame de corpo de delito.