Home Notícias BH Falso médico que atendeu paciente em UPA da Grande BH tentou aplicar mesmo golpe em BH

Falso médico que atendeu paciente em UPA da Grande BH tentou aplicar mesmo golpe em BH

A Polícia Civil confirmou, nesta quarta-feira (12), que o homem que fingiu ser médico e atendeu pacientes de uma UPA em Santa Luzia, na Grande BH, vai aguardar os desdobramentos da investigação em liberdade. O suspeito se passou por clínico geral por cerca de duas horas e chegou a avaliar pelo menos quatro pacientes na unidade de saúde. Lá, o homem que se identificou como Gabriel Valentim Cabral foi descoberto por outros funcionários e fugiu.

De acordo com a corporação, o falso médico usou de astucia para enganar a equipe que trabalhava na Unidade de Pronto Atendimento. Ele fingiu ser uma funcionária da prefeitura da cidade para reunir informações e chegar ao local. Antes de ir à UPA, o homem repassou o nome de uma médica com registro no conselho e disse que iria substitui-la no último sábado (8), tudo isso fingindo ser colaboradora da administração municipal. Depois, no dia do plantão da médica faltosa, voltou a ligar para a unidade informando que chegaria para substitui-la.

No dia do plantão, o suspeito chegou à UPA todo paramentado como médico e após identificar-se na portaria foi recebido pelo coordenador da unidade, que o levou até um dos consultórios. Enfermeiras do local, no entanto, tiveram acesso a prescrições repassadas por ele e desconfiaram de que algo estava errado. Elas levaram as anotações para avaliação de outro médico que identificou inconsistências nas medicações receitadas pelo homem.

Ao ser confrontado, o suspeito fugiu da unidade de saúde. No entanto, apresentou-se à Polícia Civil nesta quarta-feira (12). “Ele chegou à UPA todo paramentado, com jaleco bordado, carimbo de médico e se apresentou na portaria como doutor Gabriel”, explica a delegada responsável pelo caso, Adriana das Neves Rosa. “Os fatos ainda estão em apuração, mas ele pode ser responsabilizado por dois crimes, exercício ilegal da profissão de médico e usurpação de cargo público. Por enquanto, ele está solto por ter se apresentado e por colaborar com as investigações”, explicou.

Ainda segundo a delegada, a responsabilidade da prefeitura sobre o ocorrido, já que não solicitou documentos do falso médico, e a possibilidade de que a ação do suspeito tenha prejudicado pacientes também são investigados. As pessoas que receberam atendimento do falso médico foram reavaliadas no mesmo dia, segundo informações obtidas pela polícia.

Por fim, Adriana ainda disse que o falso médico tentou aplicar o golpe em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) na Pampulha, em Belo Horizonte, mas que não obteve sucesso. O homem mora na capital mineira e tem parentes em Santa Luzia. “Não vislumbro neste momento pedir um exame de sanidade mental. Ele se mostrou lúcido, calmo e bem ciente do que estava falando”, pontua a delegada.

Comentários