Home Notícias Política Militar brasileiro levava 39kg de cocaína em aeronave da FAB que integra comitiva de Bolsonaro

Militar brasileiro levava 39kg de cocaína em aeronave da FAB que integra comitiva de Bolsonaro

O militar da Força Aérea Brasileira (FAB), preso nessa terça-feira (25), em um aeroporto de Sevilha, na Espanha, transportava 39 quilos de cocaína. A aeronave integra a comitiva do presidente Jair Bolsonaro (PSL) que está a caminho de Osaka, no Japão, onde acontecerá a reunião do G-20, conforme informou jornal O Estado de S. Paulo.

Fontes da Guarda Civil espanhola disseram, ao jornal El País, que os entorpecentes foram encontrados quando os membros da tripulação e as bagagens passavam pelo controle alfandegário após chegarem a Sevilha. Na mala de mão do militar estava somente a droga, sem estar escondida, por exemplo, em roupas.

+ Militar brasileiro é preso na Espanha por transportar droga em aeronave da Força Aérea Brasileira

O militar foi levado ao comando da Guarda Civil espanhola e responderá por crime contra a saúde pública. Ainda não se sabe qual seria o destino da droga.

Procurado pelo BHAZ, o Ministério da Defesa disse que está “verificando as informações” sobre a quantidade de drogas transportadas. Em nota publicada na noite de ontem, a pasta disse que vai colaborar com as autoridades na investigação e que repudia “atos dessa natureza”.

Após a prisão do militar, a rota da viagem de Bolsonaro foi alterada. Inicialmente, haveria uma escala em Sevilha e ela mudou para Lisboa.

A mudança foi publicada na agenda oficial do presidente no site do Planalto, porém sem a justificativa. Essa parada já ocorreu e pelas redes sociais Bolsonaro publicou um vídeo dele na Base Aérea Figo Maduro.

Vídeo de Eduardo Bolsonaro

Com a prisão do militar, que integrava a comitiva do presidente Jair Bolsonaro, repercute um vídeo onde seu filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, levanta suspeitas de que os governos do PT teriam usado aviões a serviço do Ministério da Saúde para transportar drogas.

Na publicação de fevereiro deste ano, o parlamentar disse que a suspeita foi levantada em uma reunião realizada pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. “O traficante ganhou a licitação e o SUS (Sistema Único de Saúde) é uma excelente maneira de você fazer tráfico”, disse o ministro na oportunidade.

Para Eduardo, essa prática é recorrente na Venezuela. “País que o PT sempre apoiou e eu não ficaria surpreso se verificássemos que acontece o mesmo no Brasil”.

No vídeo, ele ainda apresenta um requerimento solicitando que sejam abertos os arquivos do ministério com o intuito de saber como acontecia o transporte de medicamentos nas gestões petistas. “Vamos ver se o PT usou aviões oficiais para o tráfico de drogas”, conclui.

Comentários