Pabllo Vittar recusa prêmio por ‘bumbum perfeito’ e fala sobre representatividade

Reprodução/Twitter

A drag queen Pabllo Vittar voltou a ser assunto nas redes sociais ao longo das últimas horas. É que nessa quarta-feira (18) ela usou o Instagram para falar sobre ter ganhado o título de “Miss Bumbum Transex” em um concurso criado pelo “criador de celebridades” Cacau Oliver. Ele foi o responsável por desenvolver o Miss Bumbum, que agora tem versões internacionais, e também por catapultar personalidades para os holofotes como Andressa Urach e Ana Paula Minerato.

Em entrevista à Caras, Oliver disse que Pabllo está convidada para desfilar com o título de Miss Bumbum Trans no México, caso queira. Segundo ele, a faixa que seria usada pela drag queen já estaria inclusive pronta. “O concurso agora é mundial, a Pabllo mostrou que seu talento vai além da música. Vai ser uma ótima representante do Miss Bumbum Trans no mundo”, afirmou.

“O mundo está cheio de pessoas preconceituosas, temos que combater essas atitudes gerando espaço para tratar dos assuntos da diversidade com naturalidade. A faixa da Pabllo Vittar está pronta, se ela quiser pode ir desfilar em setembro na Cidade do México”, explicou o empresário.

Mas, ao descobrir que foi eleita e convidada até para desfilar, Pabllo acabou dando um verdadeiro show de empatia e representatividade. Pelo menos para internautas que comentam o assunto. A drag disse por meio do Story do Instagram que não pode representar no concurso por ser “um homem de peruca, um viado doido”. E ela ainda sugeriu outros nomes para o título.

Explicando

Muita gente ainda tem dúvida quando o assunto é a sexualidade de Pabllo Vittar. Apesar de ser geralmente tratada no feminino – por ser uma drag queen -, a cantora afirma desde que começou a brilhar no mundo da música que trata-se de um rapaz homossexual. Ela também não se importa de ser chamado de “ele”, mas a homossexualidade não está diretamente relacionada ao gênero de uma pessoa.

A identidade de gênero diz respeito àquela em que a pessoa se identifica, podendo ser o mesmo que lhe foi designado ao nascer ou não (masculino ou feminino). Quando o indivíduo se identifica com o gênero que lhe foi designado ao nascer, o definimos como cisgênero; quando o gênero de identificação e o de nascimento não são compatíveis, trânsgenero.

Ver essa foto no Instagram

puxa no zoom ?

Uma publicação compartilhada por Pabllo Vittar ? (@pabllovittar) em

A orientação sexual nada tem a ver com a identidade de gênero. Trata-se da atração afetivo-sexual por alguém. Um indivíduo pode ser heterossexual (se atrai por pessoas de gênero diferente daquele com o qual se identifica), homossexual (atraído por pessoas de gênero igual àquele com o qual se identifica), bissexual (se atrai por pessoas de qualquer gênero) ou assexual (não sente atração sexual por pessoas de qualquer gênero).

Dessa forma, uma mulher trans – isto é, que nasceu como homem mas se identifica como mulher – que, por exemplo, se sente atraída por homens – independentemente se trans ou não – é considerada uma mulher trans heterossexual.

Quer saber mais sobre transexualidade? Clique aqui.