Home Notícias Internacional Cinto de segurança corta barriga de mulher ‘como espada’ em acidente aterrorizante

Cinto de segurança corta barriga de mulher ‘como espada’ em acidente aterrorizante

A norte-americana Gina Arnold tinha apenas 22 anos quando sofreu um acidente que mudaria a vida dela por completo. A jovem dirigia por uma estrada em Michigan quando perdeu o controle da direção e bateu em uma árvore. Antes, o veículo em que ela estava girou por pelo menos sete vezes na pista. O resultado? A motorista sofreu um ferimento gravíssimo que a fez ficar em coma por três dias e em recuperação pelo resto da vida.

De acordo com o The Sun, o corpo de Gina quase foi divido ao meio pelo cinto de segurança do veículo durante o acidente, que ocorreu em outubro de 2017. O cinto a cortou “como uma espada”, provocando uma ruptura abdominal completa – o que nunca tinha sido visto pelos médicos que a atenderam. Além disso, a vítima teve traumas nos dois pulmões.

Arquivo Pessoal/Gina Arnold

A situação da jovem era tão grave que os médicos não sabiam a princípio como tratá-la. Gina ficou internada por 14 meses até que os responsáveis decidissem qual seria a melhor forma de operá-la. A cirurgia era arriscadíssima e colocava a vida da vítima em risco. Ela passou pelo procedimento até então inédito e enfrentou outras 20 operações.

A primeira cirurgia consistiu em colocar um pedaço de malha envolto no estômago da mulher para que ele não saísse do lugar. Ao todo, foram oito horas de cirurgia. Uma das preocupações da equipe médica era de que o material fosse rejeito pelo corpo de Gina, o que não ocorreu. Apesar disso, a recuperação da mulher foi uma incógnita durante muito tempo.

Arquivo Pessoal/Gina Arnold

Os médicos não sabiam como fazer, mas precisaram comunicar aos pais dela que não tinham ideia do que esperaria pela paciente, devido à complexidade do caso. Cerca de 18 meses depois do acidente, Gina ainda segue em recuperação. Ela contou que tem dias em que sente bastante dor e que em outros não apresenta nenhum sintoma. A jovem também explica que precisou reaprender a andar, por ter ficado muito tempo sem colocar os pés no chão, e que a cada dia faz uma nova descoberta.

Apesar de todos os problemas decorrentes do acidente, Gina finaliza a entrevista com uma mensagem positiva. “Eles deixaram bem claro que não há plano B para mim ainda, então eu tenho que ser extremamente cuidadosa com a forma como eu vivo a minha vida”, disse em um trecho. “Eu fui capaz de sobreviver a algo tão louco e tão raro, então eu sou grata por ainda esteja aqui”, afirmou.

Arquivo Pessoal/Gina Arnold

Comentários