Home Notícias Minas Gerais Vizinha diz que matou menina de 6 anos por vingança: ‘Eu queria a mãe, não era a criança’

Vizinha diz que matou menina de 6 anos por vingança: ‘Eu queria a mãe, não era a criança’

O assassinato da pequena Amanda Calais, de 6 anos, ocorrido em Divinópolis, na região Centro-Oeste de Minas, foi motivado por vingança. A vizinha da menina e autora do crime, Sara Maria de Araújo, de 38, alega que enforcou e, na sequência, afogou a menina em um balde e depois a jogou do segundo andar da casa.

A filha de Sara, uma menina de 5 anos, estava na residência, mas não presenciou o crime, já que a autora a teria deixado em outro cômodo com um aparelho celular. A menina era amiga da vítima e as duas brincavam constantemente.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Leonardo Pio, na última quarta-feira (7), o Conselho Tutelar esteve na casa de Sara. Revoltada com o fato, a mulher atraiu Amanda até sua casa e a assassinou, por acreditar que a mãe da garota teria chamado o Conselho Tutelar para ela.

“Ela [mãe de Amanda] queria tirar minha filha de mim. Como uma mulher, uma mãe, quer tirar o filho de outra mãe? Que coração é esse? Que demônia é essa? que ordinariedade é essa? (sic.)”, disse a autora do crime, Sara Maria, após ser presa pela Polícia Civil.

A investigação aponta que Sara atraiu Amanda até sua casa, por volta das 19h. A menina havia acabado de chegar da escola e estava no quintal de casa, em frente à residência de Sara.

Na residência, a vizinha levou a menina para um quarto e na sequência a enforcou com um fio. Vendo que a garota ainda estava viva e desacordada, ela enfiou a cabeça da vítima em um balde de água. Por fim, ela deixou o corpo enrolado em um cobertor e, por volta de meia-noite, a jogou pela janela.

Ainda de acordo com Sara, o alvo do crime era a mãe de Amanda. “Eu queria a mãe, não era a criança. Se eu tivesse com um revólver, ela era que eu ia pegar. Ela [Amanda] era um anjo. E eu só tenho a pedir perdão, eu queria a mãe. A culpada por tudo isso é a mãe dela”, diz.

Segundo o delegado, a agressora se mostra arrependida, mas deve responder por dois crimes. “A Sara se mostrou com total desamor e alega estar arrependida. Ela vai responder pelos crimes de homicídio qualificado e fraude processual. A pena, se somar os dois crimes, pode chegar a 30 anos”, explica Pio.

Comentários