Home NotíciasBrasilAvó de Michelle Bolsonaro fica três dias em maca no corredor de hospital de Brasília

Avó de Michelle Bolsonaro fica três dias em maca no corredor de hospital de Brasília

Após passar três dias em uma maca nos corredores do Hospital Regional de Ceilândia (HRC), a avó de Michelle Bolsonaro foi transferida para uma unidade de saúde com estrutura de pronto-socorro mais eficiente. Maria Aparecida Firmo Ferreira, de 78 anos, precisou passar por exames após sofrer uma fratura na perna ao cair na casa onde mora dentro da favela de Sol Nascente, localizada a 35 quilômetros da Praça dos Três Poderes. 

De acordo com a Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES/DF), a idosa estava sendo atendida e medicada pela equipe de ortopedistas do HRC, composta por 31 profissionais, desde quinta-feira (8). Ela foi transferida para o Hospital de Base no sábado (10).

Uma equipe de reportagem da Folha de S. Paulo conseguiu conversar com a idosa antes da transferência. Maria Aparecida contou que caiu ao tentar resgatar uma de suas galinhas no lote ao lado da sua casa. “Fui pedir à mulher para pegar a galinha. O pitbull avançou no portão. Se ele pega meu rosto, tinha acabado comigo. Aí, naquele susto, caí de costas. Caí, quebrei meu fêmur e estou no corredor de espera. Tem gente aqui que tem mais de 20 dias, 30 dias e não chama [para cirurgia]. Quanto mais eu, que estou com três dias, né?”, contou a avó de Michelle.

Uma tia de Michelle ficou nos corredores como acompanhante da mãe desde o acidente. Elas contaram que a primeira-dama não foi informada sobre o acidente. “Sou vó dela, [mas] ela ainda não sabe [do acidente]. Tenho o telefone dela não. Que não falo [com Michelle], tem já cinco anos. O dia que o pai dos meus filhos morreu, ela que pagou o enterro, ficou com a gente lá. Foi o último dia que eu vi.”

Maria Aparecida disse que sofre de osteoporose e que aguarda uma cirurgia na perna direita —a mesma que machucou na quinta-feira— há cinco anos.

Sem contato com a neta

A avó de Michelle contou que não brigou com a neta. “Ela [se] afastou de mim. Não quis nada mais comigo”, afirmou. “Era meu prazer se ela viesse, [mas] ela não vem não.”

Maria Aparecida ainda contou que uma de suas noras trabalha como babá da filha do casal presidencial. “Quando ela morava no Rio, chamava minha filha, chamava a família toda para ir lá, não chamou nem eu, nem essa aí [Fátima, filha que a acompanhava no momento da entrevista], nem Aparecida, nem Gilmar, nem Gilberto, tudo meus filhos. Ela chamou o João, que é policial, com a mulher dele, o Tonho com a mulher dele, que é essa que trabalha lá para ela. Não chamou a gente”, disse.

Confira abaixo reportagem produzida pela TV Brasília sobre a família de Michelle:

Comentários