Home Notícias Brasil Delegado esquece celular em carro de app e resgate envolve 15 policiais e cinco viaturas

Delegado esquece celular em carro de app e resgate envolve 15 policiais e cinco viaturas

Uma operação para recuperar o celular de um delegado da Polícia Federal, esquecido em um carro de aplicativo, envolveu 15 policiais militares e federais, em cinco viaturas, em Cosmos, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. O caso ocorreu no domingo e foi noticiado nessa segunda-feira (12), pelo RJ2, da TV Globo, conforme mostrou o portal G1.

Nas redes sociais cidadãos reagiram à operação e postaram críticas ao caso (veja abaixo).

O delegado, que seria de Brasília (DF), esqueceu o aparelho no carro que usou para se locomover pela capital fluminense. Acionada, a Superintendência da Polícia Federal no Rio de Janeiro, colocou uma equipe na rua. Essa guarnição pediu apoio à PM, por volta das 11h de domingo (11), para entrar na comunidade de Três Pontes.

O oficial que fez o registro diz que perguntou qual era o objetivo da operação e os policiais federais explicaram que se tratava da busca para encontrar o telefone de propriedade de um delegado, chamado Ricardo, e cujo sobrenome não aparece no registro.

‘Interesse da instituição’, diz PF

O oficial recebeu a autorização de superiores e a PM deu apoio para a entrada na favela.

O carro com o celular estava na Rua Maltrudes Câmara. Até localizar o aparelho, foram duas horas, usados 8 policiais federais e sete militares, em cinco viaturas oficiais.

De janeiro a julho deste ano, conforme relatou o portal G1, 13.200 pessoas foram à delegacia para registrar o roubo de celulares. O número equivale a um a cada 20 minutos. Não há informação pública de quantos foram recuperados.

O motivo da operação conjunta chamou a atenção da PM e o coronel Rogério Figueiredo determinou que a corregedoria da corporação investigue o caso. Em nota, a PF informou que “a operação foi realizada porque o conteúdo do celular do delegado é de interesse da instituição”.

Reação

Nas redes sociais, os internautas não perdoaram e criticaram a ação. Um deles escreveu: “Coisas que só acontecem no Rio de Janeiro”. Uma mulher questionou: “Parabéns a PM e PF pelo excelente trabalho em conjunto. Quando será a operação na tentativa de recuperar os aproximados 13.200 celulares roubados registrados entre janeiro e julho de 2019?”.

Um outro usuário do Twitter publicou: “Você quer arma para se defender enquanto utilizam o aparato público em benefício próprio… os das padarias…”; seguido pelo comentário “Tinham que ter é vergonha na cara de usar aparato publico pra achar celular de delegado kkk essa é nossos agentes de segurança publica kkk Brasil”. “Uso da máquina do Estado por causa de uma porra de um celular. Deve ter coisas escabrosas no tal celular. NUDES? Diálogos da VazaJato?”, questionou uma mulher.

Comentários