Home Notícias BH Garis retiram 25 toneladas de lixo do Ribeirão Arrudas; há sofás, fogões, TV e animais mortos

Garis retiram 25 toneladas de lixo do Ribeirão Arrudas; há sofás, fogões, TV e animais mortos

Sofás, geladeiras, fogões, TV, animais mortos e até árvores, além de inúmeros sacos de lixo e panfletos diversos, foram retirados do ribeirão Arrudas, no primeiro de dia de operações de limpeza e manutenção da Superintendência de Limpeza Urbana de Belo Horizonte do ribeirão Arrudas. Os resíduos somaram 25 toneladas.

No primeiro dia dos trabalhos, nessa terça-feira (13), as ações foram concentradas em um ponto do Arrudas nas proximidades da avenida dos Andradas, em frente à Unidade de Recolhimento de Pequenos Volumes (URPV), no bairro Pompéia, região Leste da capital.

Trabalharam na operação 22 garis, que continuam a ação nesta quarta-feira (14) e que será estendida por cerca de uma semana. Também serão limpos os pontos próximos a avenida dos Andradas esquina com avenida Mem de Sá; Andradas esquina com Silviano Brandão; e Andradas esquina com avenida Jequitinhonha (Alto Vera Cruz). 

Procurada pelo BHAZ, a SLU informou que está em curso uma grande operação para limpeza de 147 córregos em Belo Horizonte – essa ação, ocorre ao menos três vezes ao ano e agora é a segunda etapa de trabalhos.

No caso do Arrudas, por ter características diferentes dos demais, não tem periodicidade de limpeza definida e a operação é especial. Para atuar num dos principais ribeirões da cidade, os garis contaram com suporte do Corpo de Bombeiros, que usam técnicas de rapel para a descida de cerca de sete metros do nível da rua até o leito do rio.

“O objetivo da ação é impedir o assoreamento dos cursos d’água, diminuindo os riscos de enchentes durante o período chuvoso. A limpeza o, inclui ainda os serviços de capina e roçada, retirada de entulho, lixo e mato”, diz a SLU.

Volume assusta

A SLU informou ainda que, em média, são retiradas cerca de 3,5 mil toneladas de resíduos de todos os 147 córregos a cada rodada de limpeza. A título de comparação, a tonelagem total de produção de lixo domiciliar na capital gira em torno de 2,8 mil toneladas/dia.

Todo o material retirado do leito do Arrudas e dos demais córregos são levados para o Aterro de Resíduos de Macaúbas, em Sabará, na Grande BH, destino do lixo da capital.

Questionada se diante do alto volume de resíduos atirado pela população no leito dos rios há alguma campanha de mobilização e educação urbana e ambiental na cidade, a SLU informou que rotineiramente faz campanhas com a população próxima aos córregos, pedindo a colaboração de todos para não jogar lixo e manter os curso d’água limpos.

O balanço total do volume retirado dos 147 córregos da cidade deve ser divulgado ao fim das ações pela SLU.

Limpezas pelas nove regionais

Em Venda Nova, dos 23 córregos da região, 18 já foram limpos. O restante será concluído nos meses de agosto e setembro. Um dos córregos que mais impressionaram a equipe de limpeza urbana pela sujeira foi o Camões/Madri, no bairro Copacabana. Os garis já haviam retirado 23,5 toneladas de lixo em abril, mas ao retornarem, no início deste mês, constataram um grande acúmulo de resíduos.

“O córrego estava num estado deplorável. Limpamos este trecho dentro da ocupação e agora estamos atuando no restante do curso d’água, menos sujo”, conta o gerente de limpeza urbana de Venda Nova, Clarício Tolentino.

De acordo com o gerente, a situação do Camões/Madri não é diferente de outros da região. “Infelizmente, a grande maioria desses córregos é alvo de descartes irregulares de resíduos diversos como entulho, terra, lixo comum, material infectante, resíduos químicos, dejetos de esgotos irregulares, móveis, pneus e eletrodomésticos inservíveis, carnes e outros materiais orgânicos estragados e animais mortos (cachorros, gatos e até equinos), dentre outros”, diz.

A situação ocorre até mesmo em locais onde a coleta de lixo porta a porta é realizada regularmente, três vezes por semana. “Vários moradores insistem em descartar esses resíduos no leito dos córregos, como se isso fosse uma coisa normal e corriqueira, sem nenhum constrangimento”, acrescenta.

Na região Noroeste, a SLU informou que 12 córregos já tiveram a limpeza concluída. No momento, os garis estão limpando os córregos Antônio Henrique Alves e Prentice Coelho, no bairro Caiçara.

No Barreiro, dos oito córregos da região, três já foram limpos. O córrego Tunel, no bairro Itaipú, está com a limpeza em andamento. Na Pampulha, dos 16 córregos, 14 foram limpos e os córregos Gameleira e Marimbondo, no Santa Amélia, estão com a limpeza em andamento.

Na região Norte, dos 26 córregos naquela área, oito já tiveram sua limpeza concluída e quatro estão sendo limpos: Basílio da Gama (Tupi), Isidoro Norte (Xodó Mariz), Clarissas (Júlio Maria) e Nossa Senhora da Eucaristia (Júlio Maria).

Já na região Leste, dos 13 córregos, seis já tiveram os trabalhos concluídos. Atualmente, os serviços estão voltados para o córrego Santa Terezinha (Taquaril). Na região Nordeste, dos 16 córregos, 15 já tiveram os trabalhos encerrados e o córrego da Rua Girassol, no Bairro Jardim Getsemani, está sendo limpo.

Na regional Oeste, a limpeza está sendo feita no córrego Bom Sucesso, no bairro Betânia; e, na Centro-Sul, no córrego Bicão (barragem Santa Lúcia). Em Venda Nova, além do córrego o Camões/Madri, as equipes de limpeza também trabalham no córrego Capão, que atravessa os bairros Céu Azul, Piratininga e Lagoinha.

Com informações da PBH

Comentários