Home Carreiras DE GRAÇA! PBH tem curso de agroecologia com 150 vagas em aberto

DE GRAÇA! PBH tem curso de agroecologia com 150 vagas em aberto

Da PBH

Estão abertas até o dia 30 de agosto as inscrições para o curso de Agroecologia oferecido pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania. As aulas são gratuitas e terão início no dia 15 de setembro. São ofertadas 150 vagas para o curso, que integra o programa “Valorizar a Gastronomia Mineira e Belo-Horizontina articulada às Bases Agroecológicas”, desenvolvido pela Prefeitura.

Ministrado no Centro de Referência em Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável – Mercado Popular da Lagoinha, o curso tem como objetivo promover e fortalecer a produção e o consumo de produtos da agroecologia e colaborar com a formação de agentes agroecológicos.

Do total de vagas, 35% serão destinadas à ampla concorrência; 25% a produtores e produtoras de Sistemas Agroecológicos atendidos pela Subsecretaria de Segurança Alimentar e Nutricional, agricultores/as de Belo Horizonte e Região Metropolitana integrantes do Sistema Participativo de Garantia; 15% a servidores e servidoras públicos; 15% a profissionais da educação; e 10% a organizações, fóruns e coletivos da sociedade civil atuantes no tema da agroecologia.

Ao todo, o curso possui 13 módulos e os encontros ocorrem às quartas-feiras, das 13h30 às 17h30, e às quintas-feiras, das 8h30 às 12h30. Para se inscrever os interessados devem preencher o formulário online até o dia 30 de agosto.

O Programa

O programa Valorizar a Gastronomia Mineira e Belo-Horizontina articulada às Bases Agroecológicas possui quatro opções de curso, também conhecidos como “trilhas”. Além da agroecologia, são ofertados cursos de panificação, gastronomia mineira e belo-horizontina e confeitaria. Apenas a trilha agroecologia é aberta ao público em geral. As outras opções de curso são destinadas a pessoas em situação de vulnerabilidade social, encaminhadas pelos Centros de Referência de Assistência Social, Centro de Referência LGBT e escolas municipais.

Comentários