Home Notícias Internacional Com câmera escondida, homem filma partes íntimas de 555 mulheres para site adulto

Com câmera escondida, homem filma partes íntimas de 555 mulheres para site adulto

Uma mochila perfeitamente adaptada e um celular estrategicamente posicionado. Foi o que um homem de 53 anos fez parar registrar partes íntimas de mulheres que cruzavam o caminho dele em vagões, ônibus e supermercados de Madri, na Espanha. O criminoso, que tem nacionalidade colombiana, publicava as imagens em um site pornô. As investigações tiveram início em março e ele foi preso nesta semana.

Segundo o El Pais, a Polícia Nacional estima que o homem obteve imagens de 555 mulheres nos últimos anos, além disso algumas delas eram menores de idade. O criminoso registrava as nádegas ou roupas íntimas das vítimas por meio de uma técnica chamada upskirting (prática de fazer fotografias não autorizadas sob a saia de uma mulher ou o kilt do homem, capturando uma imagem da área da virilha, roupas íntimas e às vezes genitália).

Especialistas determinaram que o homem fez sua primeira publicação no site pornô em julho de 2018, mas não descartam que ele tenha postado algum vídeo anteriormente em algum outro site. Até ser detido, estima-se que ele publicou 283 conteúdos diferentes nos quais são vistas as 555 mulheres. A partir da análise dos vídeos, também determinaram que ele havia repetido e aperfeiçoado sua técnica de gravação.

O perfil dele possuía 3.519 assinantes, 84.594 visitas e um total de 1.367.999 visualizações em publicações, segundo fontes policiais. Além disso, o inspetor-chefe responsável pelas redes sociais da Seção de Pesquisa Tecnológica, Roberto Fernández, onde o criminoso trabalhava, explicou ao jornal espanhol que a pessoa presa tinha “uma aparência normal” e que levava uma vida tranquila, o que não o fazia suspeitar de sua atividade ilegal.

O homem ainda agia de maneira natural, colocando a mochila, na qual tinha seu celular escondido, logo abaixo da mulher. O telefone ficava dentro do bolso lateral com uma balaclava dentro, para que pudesse esconder o dispositivo. Ele a selava com uma fita isolante e um zíper. As vítimas mais escolhidas usavam minissaias ou vestidos curtos e não eram diferenciadas em idades ou nacionalidades.

A polícia o seguiu por várias semanas até que o identificassem e descobrisse onde era sua casa e local de trabalho. Com ele, foi encontrado também contatos das possíveis vítimas. Ele enfrenta um crime contra a intimidade e outro de abuso, prostituição e corrupção de menores, tendo dois adolescentes como vítimas. Após cinco meses de investigações, foram identificadas 29 mulheres que foram registradas em apenas cinco dias. O juiz decretou a prisão provisória do homem sem direito à fiança.

Comentários