Home Notícias Brasil Casal mata bebê afogado após tentativa frustrada de aborto

Casal mata bebê afogado após tentativa frustrada de aborto

Um casal é suspeito de matar e enterrar um recém-nascido após a tentativa de aborto dar errado em Vila Pavão (ES), município com cerca de 9 mil habitantes a 280km da capital capixaba. O homem, de 31 anos, e a mulher, de 34, foram presos na manhã de sexta-feira (30). A Polícia Civil investiga o caso.

Ao BHAZ, o investigador Randy Zanotelli, da Polícia Civil capixaba, disse que a mãe da criança usou medicamento abortivos durante a gestão, mas o método não deu certo e a criança nasceu saudável. O crime aconteceu no último dia 9, e o corpo foi encontrado dia 16.

“A princípio era um aborto espontâneo, a mãe tinha relatado que havia caído e teria perdido criança. Durante as investigações, ouvindo testemunhas e confrontando alguns fatos, descobrimos que os pais eram responsáveis por matar o menino”, explica o investigador.

O casal teria usado uma toalha para asfixiar a criança. “Depois foi afogada em um balde com água e o corpo foi enterrado em um matagal próximo a casa dos dois. Alguns dias após o crime, um trabalhador sentiu um cheiro forte quando passava pelo local, e encontrou o corpo do recém-nascido”.

A mãe da criança foi reconhecida por testemunhas e, em depoimento, ela disse que teria abortado a criança. Para a polícia, o casal confessou o crime, mas não justificou a motivação.

“A criança nasceu com saúde, mesmo com uso de um abortivo. Devido ao estado avançado da gravidez, ao invés do aborto, a criança acabou nascendo mais rápido. A própria mãe cortou o cordão umbilical com uma tesoura”, relata o investigador.

Após matarem o bebê, o casal resolveu enterrá-lo. “O marido fez uma cova rasa, de aproximadamente 30 centímetros de profundidade. O bebê foi encontrado em estado de decomposição após cinco dias”, completa.

Os dois foram presos e autuados por homicídio qualificado. O casal foi encaminhado ao Centro de Detenção Provisoria (CDP) de São Mateus (ES). O caso segue em investigação pela Polícia Civil.

Vitor Fernandes

Vitor Fernandes

Jornalista no Portal BHAZ

Comentários