Home Notícias Minas Gerais Policial civil escolta caminhão de frango com 500kg de cocaína sem saber e acaba presa

Policial civil escolta caminhão de frango com 500kg de cocaína sem saber e acaba presa

Uma policial civil de 33 anos foi presa após escoltar uma carga de frangos que tombou em uma rodovia de Uberlândia, no Triângulo Mineiro , na última sexta-feira (6). O acidente seria apenas mais um, não fosse o fato de que, junto dos frios, havia 500kg de cocaína.

Uma denúncia anônima informou à Polícia Militar (PM) de que no caminhão havia entorpecentes. E o acidente ocorreu depois que o motorista dormir ao volante.

Chegando à MGC-497, os militares encontraram dois homens transportando a carga de um veículo para outro, enquanto a policial escoltava, evitando um possível roubo.

Os homens foram perguntados se havia drogas na carga e começaram a ficar apreensivos, conforme registrado no boletim de ocorrência. Na base da Polícia Rodoviária Estadual, a droga foi encontrada no caminhão. Segundo o motorista, o material seria entregue em Natal (RN) e ele receberia R$ 20 mil pelo transporte.

Apesar de ter feito a escolta, a policial não responderá pelo crime de tráfico de drogas, pois, ela não sabia que no caminhão havia os entorpecentes.

Em conversa com o BHAZ, o delegado Marcos Tadeu disse que a escolta era um trabalho à parte e não tinha relação com a instituição. “A policial fazia um bico para uma seguradora e toda vez que ocorria algum sinistro ela era acionada”, explicou.

No carro da policial foram encontradas duas armas de fogo irregulares e por conta disso ela foi presa. O marido dela a acompanhava e também foi detido. Segundo o delegado Marcos Tadeu, o veículo precisou ser apreendido, devido à irregularidades. “Uma pesquisa no sistema apontou que desde 2012 o IPVA está atrasado”.

A policial e o marido foram liberados após pagarem fiança de um salário mínimo, cada um. Já o motorista do caminhão e o rapaz que auxiliou na retirada da carga ficaram presos.

Uma sindicância será aberta para investigar os “bicos” feitos pela policial à seguradora.

Comentários