Home Notícias Internacional Telefonista do serviço de emergência manda mulher ‘calar a boca’ minutos antes de ela se afogar

Telefonista do serviço de emergência manda mulher ‘calar a boca’ minutos antes de ela se afogar

Uma mulher de 47 anos ligou desesperada para o 911 (serviço de emergência norte-americano) enquanto seu veículo inundava, mas, de onde esperava obter ajuda e conforto, recebeu ignorância. O caso aconteceu há duas semanas em Fort Smith, Arkansas, nos Estados Unidos, mas viralizou recentemente na internet após a divulgação do áudio chocante, que mostra a completa indiferença da atendente Donna Reneau. As informações são do BuzzFeed.

Na gravação, divulgada pelo Departamento de Polícia de Fort Smith, Debra Stevens conta para a telefonista que estava entregando jornais por volta das 4h38, quando seu carro foi levado por uma enchente e ficou preso em meio a algumas árvores. Debra explicou que tinha medo de sair do carro porque não sabia nadar.

Conforme o nível da água subia, é possível ouvir o choro cada vez mais alto da mulher, enquanto ela diz que esta prestes a morrer. “Você não vai morrer. Não sei porque está em pânico”, Donna responde.

Era a última noite de Donna no serviço. A telefonista havia pedido demissão e cumpria o último dia de aviso prévio quando atendeu a ligação de Debra.

Durante os 25 minutos de chamada, é possível ver o desespero da mulher aumentar conforme o nível da água subia. “Isso vai te ensinar a não dirigir na água. Não sei como você pode não ter visto, você teve que passar bem por cima?”, diz a atendente em um trecho da gravação.

Debra chega a pedir desculpas por estar tão nervosa, e pergunta se Donna pode rezar com ela. “Você pode rezar e eu vou ouvir”, a telefonista responde. Em outro momento, a mulher pergunta se pode desligar para acionar a mãe com o objetivo de se despedir, e ouve da atendente que não deveria encerrar a chamada.

Em determinado momento, a telefonista explica que os bombeiros estão salvando outras pessoas e, por isso, Debra teria que esperar. Quando a mulher se desespera e começar a chorar alto, a atendente manda ela “calar a boca” para ouvi-la.

ATENÇÃO! O áudio em inglês contém frases fortes que podem ser perturbadoras para algumas pessoas:

Últimos minutos

Em meio às lagrimas, Debra disse que muitas pessoas estavam vendo seu carro, mas ninguém a estava ajudando. “Já recebi muitas ligações sobre você. Não é porque eles não estão se colocando em risco, como você se colocou, que eles não estão ajudando”, respondeu a telefonista.

A ligação terminou às 5h, e o resgate chegou ao local às 5h02. Apesar disso, os bombeiros só conseguiram se aproximar do carro e retirar a mulher do veículo às 5h58, já morta.

Em uma coletiva após a divulgação do áudio, o chefe interino da polícia Danny Baker disse que entende as reclamações, “mas estávamos trabalhando para chegar até ela, fizemos tudo que foi possível para tentar salvá-la”.

Em fevereiro, Donna havia sido homenageada na página do departamento de polícia no Facebook.

Comentários