Home Notícias Internacional Homem forja a própria morte para colocar a esposa na cadeia: ‘Dormindo com o inimigo’

Homem forja a própria morte para colocar a esposa na cadeia: ‘Dormindo com o inimigo’

Parte da imprensa mundial repercute, ao longo das últimas horas, um caso que mais parece ter saído das telas de cinema ou da TV. Um treinador de boxe forjou a própria morte para enganar a esposa depois de descobrir que ela havia encomendado o assassinato dele. O caso ocorreu em 2015, mas voltou a ser assunto por conta de uma entrevista exclusiva concedida por ele para o The Sun. A reportagem foi divulgada nesta quarta-feira (11).

De acordo com a publicação, Ramon Sosa uniu forças com detetives para provar que a mulher dele, Maria “Lulu” Sosa, criou um plano para assassiná-lo e contratou um matador de aluguel. Os dois estavam em processo de divórcio quando a então esposa teria pago o equivalente a R$ 7,5 mil para acabar com a vida do homem.

Ramon e Lulu: Mulher tramou assassinato do marido durante processo de divórcio
(Arquivo pessoal)

Na entrevista, o treinador contou ter ficado “entorpecido” ao descobrir o plano de Lulu, que tinha como objetivo ficar com o dinheiro do marido. No entanto, em vez de afastar-se da mulher, resolveu que provaria o plano dela para matá-lo. Para isso, no entanto, precisaria continuar “dormindo com o inimigo”. Os dois estavam se separando, mas ainda viviam na mesma casa, em Houston, nos Estados Unidos.

“Depois da realidade, fiquei zangado, triste e confuso; toda uma mistura de emoções, cada uma lutando contra a outra para ser o sentimento dominante”, contou Ramon ao jornal. “E então me ocorreu que eu ainda tinha que viver sob o mesmo teto com a pessoa que planejava me matar”, continuou. “Sim, eu dormi com o inimigo e com um olho aberto, enquanto tentava agir o mais ‘normal’ possível para que Lulu continuasse com seu plano. Lembre-se de que era a única maneira de pegá-la em flagrante”, disse.

O plano de Lulu

O plano de Lulu falhou por uma coincidência: a mulher teria procurado um homem identificado como Gustavo para ver se ele poderia organizar o golpe contra o marido. No entanto, a mulher não sabia que ele e Ramon eram amigos.

Gustavo juntou-se ao amigo Ramon e encontrou Lulu usando um microfone escondido nas próprias roupas para gravá-la. A conversa foi registrada e entregue para as autoridades em Houston. No entanto, não foi o suficiente.

Homem voltou ao local onde tirou foto para fingir estar morto (Arquivo pessoal)

Foi então que os policiais sugeriram que Ramon fingisse estar morto. Ele preparou todo o plano com a ajuda do FBI. O homem teve o rosto maquiado como se estivesse baleado e uma foto foi feita com ele dentro de uma cova. “Essa foto, até hoje, reflete uma das coisas mais difíceis que já fiz na minha vida. O pensamento de eu deitado em uma cova rasa com um buraco de bala na minha têmpora é incompreensível”, relatou Ramon.

A foto em questão foi levada até Lulu por um policial que fingiu ter participado do assassinato. A mulher teria começado a rir ao ver a imagem e ainda questionou se o homem se levantaria, ou se realmente estava morto. Foi o suficiente para levar a quase “viúva negra” ao tribunal.

Ramon ao lado da mãe (Arquivo pessoal)

Em 2016, Lulu foi condenada por tramar o assassinato do marido pelo Tribunal Distrital de Conroe, no Texas. Ela recebeu uma pena de 20 anos.
“Eu nunca, por um momento, pensei que Lulu iria querer me matar. Nosso divórcio foi muito difícil e contencioso, mas em nenhum momento nenhum tipo de assassinato passou pela minha cabeça”, disse o homem.

“Depois de receber todas as evidências que as autoridades coletaram de Lulu, posso dizer honestamente que tenho muita sorte de ainda estar vivo. Lulu era o lobo em pele de cordeiro, mal sabia eu”, explicou.

Agora, três anos após a condenação de Lulu, Ramon dedica-se a trabalhar com vítimas de violência doméstica.

Comentários