Home Notícias Esportes Surfista brasileiro atrasa para competição, usa jeans no mar e vence torneio

Surfista brasileiro atrasa para competição, usa jeans no mar e vence torneio

Existem dias na vida em que tudo parece conspirar para dar errado. Mas, com perseverança, as dificuldades podem ser superadas. Foi o que fez o surfista brasileiro Ítalo Ferreira para conseguir cumprir o compromisso em uma competição de surfe no Japão. 

Ítalo teve uma série de problemas para chegar à praia de Myasaki. Ele teve de ir direto do aeroporto para o local das provas onde estavam sendo disputados os Jogos Mundiais, que classifica para a Olimpíada de Tóquio, em 2020. O brasileiro chegou faltando 9 minutos para o fim de sua bateria. Caso demorasse mais um pouco, seria desclassificado e o sonho de representar o Brasil nos jogos olímpicos teria terminado.  

Contratempos no começo, glória no final

O “azar” de Ítalo começou ainda no EUA, onde embarcou para o Japão. Lá, o carro e objetos dele foram roubados, incluindo o passaporte, um dia antes de ir para os Jogos Mundiais. Por sorte, ele conseguiu um passaporte de emergência e um visto para o país asiático. 

Porém, as coisas ainda não estavam solucionadas. Ao se aproximar do Japão, o piloto informou que havia um furacão e o pouso da aeronave atrasaria. Quando finalmente conseguiu descer em solo japonês, Ítalo saiu correndo para o lugar onde seria disputada a sua bateria sem sua prancha, equipamentos e até a roupa ideal. A solução? Ele pegou uma prancha emprestada com outro brasileiro, Filipe Toledo, vestiu uma bermuda jeans e foi para o mar.  

O sacrifício compensou: Ítalo Ferreira teve um grande desempenho, venceu três rivais e saiu vencedor da bateria, se mantendo com chances de ir à olimpíada de 2020.

“Foi uma missão. Quando eu pousei, fui correndo do aeroporto para a competição e não tive tempo de pegar a bagagem. No meio do caminho, tinha uma bermuda jeans na minha mochila. Eu troquei dentro do carro pela calça que eu tava. Quando eu cheguei, a minha bateria já estava acontecendo e eu precisava de 12 pontos para ficar em primeiro. Faltando 1 minuto, eu fiz a melhor nota, surfando com a prancha do Filipe e de bermuda jeans. Deu certo. Foi uma loucura!”, contou Ítalo ao site da ISA (Associação Internacional de Surfe). 

A competição no Japão conta com 55 países e é um evento obrigatório para os atletas que desejam ir aos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020. Se depender de garra, Ítalo Ferreira é candidato ao ouro na certa.

Comentários