Home Notícias BH Médico suspeito de estuprar rapaz é afastado de hospital em BH

Médico suspeito de estuprar rapaz é afastado de hospital em BH

O médico de 54 ano preso em flagrante suspeito de estuprar um rapaz de 24, nessa quarta-feira (11), foi afastado de suas funções no Instituto Mário Penna, em Belo Horizonte. Ele foi detido depois que a vítima procurou as autoridades e contou, com detalhes, o que teria ocorrido no consultório.

+ Médico é preso em flagrante após estuprar rapaz em hospital de BH

Por meio de nota (leia na íntegra abaixo), o Instituto Mário Penna afirmou que o “fato mencionado não ocorreu nas dependências do Hospital Luxemburgo e, sim, em um consultório da Medicina do Trabalho que fica no prédio administrativo, localizado fora do hospital”.

O instituto também afirma que “o colaborador médico está afastado de suas funções até a conclusão do inquérito e, posteriormente, serão tomadas as providências cabíveis”.

De acordo com a Polícia Civil, a vítima procurou o profissional a pedido do local onde trabalha. Foi a primeira consulta dele com o médico, que se identificava como proctologista. No entanto, as autoridades dizem que ele é, na verdade, clínico geral. O médico teria colocado o paciente de bruços e tocado nas partes íntimas dele. O caso segue em investigação.

Nota do Instituto Mário Penna

“O Instituto Mário Penna informa que, em relação à denúncia de abuso sexual divulgada ontem, 11/09, pela Polícia Civil de Minas Gerais, que o fato mencionado não ocorreu nas dependências do Hospital Luxemburgo e, sim, em um consultório da Medicina do Trabalho que fica no prédio administrativo, localizado fora do Hospital, durante um exame de avaliação de atestado médico de um funcionário.

Cumpre esclarecer que o Corpo Clínico do Hospital Luxemburgo é reconhecido por sua capacidade técnica, postura profissional ética e não pode ser associado a essa denúncia. 

O Instituto Mário Penna colabora com as investigações. O colaborador médico está afastado de suas funções até a conclusão do inquérito e, posteriormente, serão tomadas as providências cabíveis”.

Comentários