Home Notícias Política Em BH, Ciro Gomes diz que governo de Zema é ‘um desastre’: ‘Não tem nada de novo’

Em BH, Ciro Gomes diz que governo de Zema é ‘um desastre’: ‘Não tem nada de novo’

O ex-presidenciável Ciro Gomes (PDT), conhecido por sua artilharia pesada, classificou o governo de Romeu Zema (Novo) como “um desastre”. O ex-ministro e ex-governador do Ceará deu a declaração na noite desta segunda-feira (16), durante solenidade na Câmara Municipal de Belo Horizonte. Zema, através da assessoria do Governo de Minas, preferiu não comentar as falas.

“O Zema pega Minas em situação terrível, aí diz: ‘Eu vou fazer meu secretariado sem nenhum salário’. Para o povo que está cansado parece um ato simbólico relevante. Hoje, está todo mundo – os secretários – ganhando não só o salário como jetons, da forma mais imoral que existe nas estatais, sem trabalhar”, afirmou, ao se referir sobre a polêmica gratificação a secretários mineiros (leia mais aqui).

“Depois, o Zema mantém a estrutura regressiva do sistema tributário, que ele herdou, e corta 80 mil matrículas do ensino em tempo integral. Francamente, isso pra mim é um desastre”, complementou. “Não tem nada de novo”, ao ironizar o partido e uma das principais bandeiras da sigla.

Esta não é a primeira vez que Ciro dispara críticas a Zema. Em janeiro deste ano, o ex-presidenciável chamou o atual governador de Minas Gerais de “maluco”, assim como os governadores do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), e de São Paulo, João Dória (PSDB).

Hoje, além das críticas a Zema, Ciro também reiterou as polêmicas opiniões sobre Witzel, a quem considerou como um genocida, e sobre Dória, que Ciro diz ser um “governador de marketing”.

Procurado, o Governo de Minas disse que não se posicionaria sobre as declarações de Ciro Gomes.

Duda Salabert

Ciro esteve em Belo Horizonte nesta segunda (16) para evento de filiação da ex-candidata ao Senado Federal pelo PSOL, Duda Salabert, que agora pertence aos quadros do PDT. Ciro e Duda participaram de uma aula aberta no plenário da Câmara Municipal de Belo Horizonte (CMBH).

Duda deixou clara sua intenção de estar presente nas urnas nas eleições municipais de 2020, como candidata à prefeitura ou à CMBH. “Dependo da legenda, o que o PDT escolher, eu vou respeitar. Temos a possibilidade de sair como prefeita ou como vereador. O fato é que vamos participar”, disse Duda.

No entanto, em 2018, durante a eleição presidencial, Ciro recebeu o apoio do atual prefeito da capital Alexandre Kalil (PSD). Questionado se a chegada de Duda ao partido colocaria o amigo em posição oposta, Ciro disse que a decisão sobre isso será tomada pela direção do partido na capital.

“A Duda vem para ser militante plenamente do partido, ela vem para tomar o centro na mesa das decisões. Ela sabe que temos um dever de gratidão ao Kalil, pois ele me apoiou e eu tirei o segundo lugar em BH, que é a capital mais politizada do Brasil e sou muito grato por isso”, afirmou.

“Se eu morrer, ainda vou morrer devendo ao Kalil. Mas, acima dessa gratidão, está o interesse de Belo Horizonte. Como se resolve isso? Com sinceridade, transparência, lealdade e decência. A Duda e a direção daqui vão achar o melhor caminho”, explicou Ciro.

Comentários