Home Notícias Política Em entrevista ao Roda Viva, Michel Temer admite que impeachment de Dilma foi golpe

Em entrevista ao Roda Viva, Michel Temer admite que impeachment de Dilma foi golpe

Em entrevista ao programa Roda Viva, na noite dessa segunda-feira (16), o ex-presidente da República Michel Temer usou a palavra “golpe”, por duas vezes, para se referir ao processo que levou ao impeachment de Dilma Rousseff em 2016.

A intenção de Temer era negar que tenha se empenhado para dar um golpe, mas o conjunto de palavras escolhido por ele parece não ter favorecido a ideia inicial. “O pessoal dizia ‘o Temer é golpista’ e que eu teria apoiado o golpe. Diferente disso, eu jamais apoiei ou fiz empenho pelo golpe”, disse.

“Aliás, muito recentemente, o jornal Folha detectou um telefonema onde o ex-presidente Lula me deu, onde ele pleiteava e depois esteve comigo para trazer o PMDB para impedir o impedimento”, afirmou.

“E eu tentei, mas a esta altura, eu confesso, que a movimentação popular era tão grande e tão intensa que os partidos já estavam mais ou menos vocacionados para a ideia do impedimento”, disse o ex-presidente.

Em seguida, questionado pelo jornalista Ricardo Noblat, sobre se ele não havia conspirado “nem um pouquinho”, Temer afirmou que não imaginava que viraria presidente por essas vias.

Temer também disse não acreditar que a eleição de Bolsonaro tenha relação com o impeachment de Dilma. “No Brasil, de tempos em tempos as pessoas querem mudar tudo. Foi assim na eleição do Lula”, analisou.

Comentários