Home Notícias Minas Gerais Agente ferroviário salva duas senhoras de atropelamento em linha de trem: ‘Um herói’

Agente ferroviário salva duas senhoras de atropelamento em linha de trem: ‘Um herói’

Na manhã desta quinta-feira (19), um agente de segurança ferroviária da cidade de Santos Dumont, na Zona da Mata mineira, foi surpreendido ao ver duas senhoras transitando sobre um trecho da ferrovia. Elias Nascimento se preparava para sinalizar a chegada de um trem quando viu as mulheres no local. Em atitude rápida, o homem foi até elas e as salvou de um possível atropelamento. Um morador da região compartilhou o caso nas redes sociais e o relato já possui centenas de compartilhamentos.

Elias trabalha como agente de segurança ferroviária na empresa MRS há três anos. Ao BHAZ, ele afirmou nunca ter passado por nada parecido. “O nosso trabalho é alertar as pessoas quando um trem está chegando e assim evitar qualquer problema. Mas nunca aconteceu de eu precisar de salvar alguém assim”, contou o profissional.

Segundo o trabalhador, ao perceber a chegada da locomotiva, as senhoras teriam ficado em estado de choque e não conseguiam se mover. “Eu sai da cabine com capacete e sinalizador, e fui tentar tirar as duas dali. Elas estavam paradas, em choque. O trem estava a menos de 100 metros delas, eu pedi a Deus na hora, foi ele que ajudou a gente”, disse Elias.

O homem ainda conta que as senhoras não paravam de chorar e que ele as abraçou. “Elas estavam muito assustadas, abracei elas e disse para ficarem tranquilas e que já estava tudo bem. Elas já eram de idade então tive um cuidado ainda maior. Não conversamos muito, pois elas estavam em choque, mas desejo que fiquem bem”, afirmou o agente.

Morador e gerente de uma loja de motos da cidade, Marcelo Almeida assistiu toda a situação e se emocionou com a atitude de Elias. Para ele, o profissional ferroviário foi um verdadeiro herói e queria que a atitude fosse reconhecida pela população de Santos Dumont. Dessa forma, Marcelo relatou o ocorrido no Facebook e o post já soma mais de 300 compartilhamentos.

“Eu vi tudo e senti que o mínimo que eu tinha que fazer pra pessoa do Elias, era fazer com o que o trabalho dele fosse divulgado. Porque além dele ter salvado duas vidas, a maioria das pessoas só sabe criticar e quando alguém faz algo certo só aparece pra falar que é ‘mais do que obrigação fazer o correto’. Mas pra mim ele foi um herói”, contou Marcelo ao BHAZ.

Segurança

Apesar de sinalizada e visada por muitos moradores, a linha ferroviária ainda é tida como caminho para muita gente. Ao BHAZ, Marcelo Kanhan, gerente de comunicação da MRS, afirma que a empresa reconhece a atitude do profissional e garante que as equipes de agentes de segurança ferroviária têm como objetivo atuar em duas frentes principais: a segurança patrimonial da ferrovia e a preservação das condições seguras para a operação ferroviária e para terceiros.

A empresa afirma ainda que não há nenhuma obrigatoriedade ou norma para a presença de agentes em locais como o que as senhoras estavam. No entanto, em alguns poucos pontos, profissionais de segurança são mantidos de forma fixa. “Isso se dá em função das condições locais. Santos Dumont tem dois desses pontos, ambos com atuação 24 horas. São locais com grande fluxo de pessoas na faixa de domínio da ferrovia – onde é proibida a circulação de pessoas. Daí a operação excepcional, fora do padrão”, disse.

“Embora para alguns possa parecer que caminhar pela ferrovia é o menor caminho, podemos assegurar: ele nunca será o melhor. Quase 80% de todos os acidentes envolvendo terceiros acontecem em trechos como o da situação de hoje à tarde, no ‘trecho corrido’, como chamamos no jargão ferroviário, em que não deveria haver pessoas transitando. Os riscos são imensos, e reiteramos nosso pedido e orientação: atravesse a ferrovia apenas nos locais oficiais e preparados para isto. Antes de atravessar, pare, olhe para os dois lados e escute. Observando essas orientações, sua segurança estará garantida”, sinaliza Kanhan ao BHAZ.

Comentários