Home Veículos Acelera aí Testamos uma das versões mais vendidas do Compass. Confira como foi

Testamos uma das versões mais vendidas do Compass. Confira como foi


Andamos na versão intermediária do utilitário-esportivo que, junto com o Renegade, é responsável pelo sucesso da marca Jeep no Brasil depois que surgiu o grupo FCA. A opção avaliada tinha motor flex 2.0 (existe também a opção do diesel 2.0 4×4), de 166cv (com etanol); câmbio automático de seis marchas, tração dianteira e uma lista de equipamentos que fica bem completa com os pacotes de opcionais. Confira como o modelo se saiu em nossa avaliação.

As versões Longitude do Jeep Compass (com opções de motor 2.0 flex ou diesel) representam o maior volume de vendas do modelo que é um sucesso de mercado no Brasil. Andamos na versão Longitude 2.0 Flex que, na linha 2020, mudou apenas a lista de equipamentos de série e na oferta de um opcional. De fábrica, ele passou a vir com retrovisor eletrocrômico, acendimento automático dos faróis e sensor de chuva. Na lista de opcionais, passou a figurar o sistema de estacionamento Park Assist.

Recheio com opcionais

Já que falamos de equipamentos, a opção Longitude vem de fábrica com uma lista interessante de equipamentos de conforto e segurança, incluindo central multimídia com tela de 8,4 polegadas, sensores de chuva e crepuscular, sistema Isofix, câmera de ré e monitoramento da pressão dos pneus. Mas para deixá-la bem completa, com itens como airbags laterais, de cortina e de joelho para motorista, Park Assist (muito útil em manobras em vagas apertadas) e o fantástico sistema de som Premium Beats de 506 W, o preço fica um pouco salgado (confira os preços no final da matéria).

 De qualquer forma, o conforto a bordo do Compass é digno de elogio. Cinco adultos viajem com conforto, incluindo os ocupantes do banco traseiro, e o porta-malas tem uma capacidade razoável (de 410 litros) para um SUV deste porte. Outros pontos positivos do interior são o design, que mistura elegância e esportividade; o bom nível de acabamento e a boa qualidade dos materiais; o volante, com boa pega e comandos à mão; a boa posição de dirigir e os bancos, que acomodam bem todos os ocupantes.

Leia também: Jeep Territory

Fôlego em alta

Em termos de desempenho, o motor 2.0 flex, que tem o nome de tubarão tigre (Tigershark, em inglês), proporciona uma performance razoável levando em conta tratar-se de um SUV de uma tonelada e meia. Mas é preciso manter os giros mais altos para manter o Compass com bom fôlego. Por outro lado, o consumo é um pouco elevado (com etanol na estrada, ar desligado e apenas o motorista, o computador de bordo registrou médias abaixo de 7km/l), mesmo para um modelo desse porte.

Leia também: Centro de Segurança da FCA

Por outro lado, o câmbio trabalha em perfeita sintonia com o motor e de forma suave, e as trocas manuais junto ao volante são mais eficientes. A suspensão (independente nos dois eixos) é outro ponto positivo do carro, segurando bem o Compass nas curvas mais fechadas e sem sacrificar o conforto. A direção tem boa calibragem, tanto em manobras quanto em alta velocidade. Em suma, o Compass é um carro gostoso de dirigir, e isso explica parte do seu sucesso no mercado.

Texto e fotos: Eduardo Aquino

Ficha Técnica

Motor – Dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, 1.995cm³ de cilindrada, 16V, Flex, que gera potências de 159cv (gasolina) e 166cv (etanol) a 6.200rpm e torques de 19,9kgfm (gasolina) e 20,5kgfm (etanol) a 4.000rpm

Transmissão – Tração dianteira e câmbio automático de seis marchas

Direção – Assistência elétrica

Suspensão – Independente, do tipo McPherson, na dianteira e na traseira

Dimensões – Comprimento, 4,41m; largura, 1,81m; altura, 1,63m; e entre-eixos, 2,63m

Freios – A disco nas quatro rodas, sendo ventilados na dianteira

Rodas e pneus – Rodas de liga de 18 polegadas, calçadas com pneus 225/55 R18

Porta-malas – 410 litros

Tanque – 60 litros

Peso (em ordem de marcha) – 1.541 quilos

Principais equipamentos

De série – Acendimento automático dos faróis, sensor de chuva, central multimídia com tela de 8,4 polegadas, GPS e câmera de ré; ar-condicionado de duas zonas, faróis de neblina direcionais, sistema eletrônico anti-capotamento, revestimento dos bancos parcialmente em couro, controle de estabilidade para trailer (quando com engate Mopar), controles de tração e estabilidade, sistema Isofix para fixar cadeiras infantis, assistente de partida em rampa, controle automático de velocidade, sensor de estacionamento traseiro, monitoramento da pressão dos pneus e sistema start/stop.

Pacotes opcionais – Pack Safety (R$ 3.650,00), airbags laterais, de cortina e de joelho para o motorista; Pack Protection (R$ 950,00), protetor de cárter, protetor para barro dianteiro e traseiro e Badge exclusivo Pack Protection; Pack Premium (R$ 5.000,00), faróis em xenon, Park Assist, partida remota e sistema de som Premium Beats de 506 W; teto solar elétrico panorâmico Command View (R$ 8.000,00) e revestimento em couro Ski Gray (R$ 1.500,00).

Preços – R$ 132.990,00. Com todos os opcionais (incluindo pintura perolizada), sobe para R$ 154.290,00.



Acelera Ai

Acelera Ai

Jornalistas Eduardo Aquino e Luís Otávio Pires são os editores do site Acelera Aí e da seção veículos do portal Bhaz

Comentários