Home VeículosAcelera aíTestamos uma das versões mais vendidas do Compass. Confira como foi

Testamos uma das versões mais vendidas do Compass. Confira como foi

Andamos na versão intermediária do utilitário-esportivo que, junto com o Renegade, é responsável pelo sucesso da marca Jeep no Brasil depois que surgiu o grupo FCA. A opção avaliada tinha motor flex 2.0 (existe também a opção do diesel 2.0 4×4), de 166cv (com etanol); câmbio automático de seis marchas, tração dianteira e uma lista de equipamentos que fica bem completa com os pacotes de opcionais. Confira como o modelo se saiu em nossa avaliação.

Leia mais: Coluna AutoData: Serviços de mobilidade, você ainda vai usar um

As versões Longitude do Jeep Compass (com opções de motor 2.0 flex ou diesel) representam o maior volume de vendas do modelo que é um sucesso de mercado no Brasil. Andamos na versão Longitude 2.0 Flex que, na linha 2020, mudou apenas a lista de equipamentos de série e na oferta de um opcional. De fábrica, ele passou a vir com retrovisor eletrocrômico, acendimento automático dos faróis e sensor de chuva. Na lista de opcionais, passou a figurar o sistema de estacionamento Park Assist.

Recheio com opcionais

Já que falamos de equipamentos, a opção Longitude vem de fábrica com uma lista interessante de equipamentos de conforto e segurança, incluindo central multimídia com tela de 8,4 polegadas, sensores de chuva e crepuscular, sistema Isofix, câmera de ré e monitoramento da pressão dos pneus. Mas para deixá-la bem completa, com itens como airbags laterais, de cortina e de joelho para motorista, Park Assist (muito útil em manobras em vagas apertadas) e o fantástico sistema de som Premium Beats de 506 W, o preço fica um pouco salgado (confira os preços no final da matéria).

 De qualquer forma, o conforto a bordo do Compass é digno de elogio. Cinco adultos viajem com conforto, incluindo os ocupantes do banco traseiro, e o porta-malas tem uma capacidade razoável (de 410 litros) para um SUV deste porte. Outros pontos positivos do interior são o design, que mistura elegância e esportividade; o bom nível de acabamento e a boa qualidade dos materiais; o volante, com boa pega e comandos à mão; a boa posição de dirigir e os bancos, que acomodam bem todos os ocupantes.

Leia também: Jeep Territory

Fôlego em alta

Em termos de desempenho, o motor 2.0 flex, que tem o nome de tubarão tigre (Tigershark, em inglês), proporciona uma performance razoável levando em conta tratar-se de um SUV de uma tonelada e meia. Mas é preciso manter os giros mais altos para manter o Compass com bom fôlego. Por outro lado, o consumo é um pouco elevado (com etanol na estrada, ar desligado e apenas o motorista, o computador de bordo registrou médias abaixo de 7km/l), mesmo para um modelo desse porte.

Leia também: Centro de Segurança da FCA

Por outro lado, o câmbio trabalha em perfeita sintonia com o motor e de forma suave, e as trocas manuais junto ao volante são mais eficientes. A suspensão (independente nos dois eixos) é outro ponto positivo do carro, segurando bem o Compass nas curvas mais fechadas e sem sacrificar o conforto. A direção tem boa calibragem, tanto em manobras quanto em alta velocidade. Em suma, o Compass é um carro gostoso de dirigir, e isso explica parte do seu sucesso no mercado.

Texto e fotos: Eduardo Aquino

Ficha Técnica

Motor – Dianteiro,
transversal, quatro cilindros em linha, 1.995cm³ de cilindrada, 16V, Flex, que
gera potências de 159cv (gasolina) e 166cv (etanol) a 6.200rpm e torques de
19,9kgfm (gasolina) e 20,5kgfm (etanol) a 4.000rpm

Transmissão – Tração dianteira e câmbio automático de seis marchas

Direção – Assistência
elétrica

Suspensão – Independente,
do tipo McPherson, na dianteira e na traseira

Dimensões – Comprimento,
4,41m; largura, 1,81m; altura, 1,63m; e entre-eixos, 2,63m

Freios – A
disco nas quatro rodas, sendo ventilados na dianteira

Rodas e pneus – Rodas de liga de 18 polegadas, calçadas com pneus
225/55 R18

Porta-malas – 410 litros

Tanque – 60
litros

Peso (em ordem de marcha) – 1.541 quilos

Principais equipamentos

De série – Acendimento
automático dos faróis, sensor de chuva, central multimídia com tela de 8,4
polegadas, GPS e câmera de ré; ar-condicionado de duas zonas, faróis de neblina
direcionais, sistema eletrônico anti-capotamento, revestimento dos bancos
parcialmente em couro, controle de estabilidade para trailer (quando com engate
Mopar), controles de tração e estabilidade, sistema Isofix para fixar cadeiras
infantis, assistente de partida em rampa, controle automático de velocidade,
sensor de estacionamento traseiro, monitoramento da pressão dos pneus e sistema
start/stop.

Pacotes opcionais – Pack Safety (R$ 3.650,00), airbags laterais, de cortina e de
joelho para o motorista; Pack Protection (R$
950,00), protetor de cárter, protetor para barro dianteiro e traseiro e Badge
exclusivo Pack Protection; Pack Premium (R$
5.000,00), faróis em xenon, Park Assist, partida remota e sistema de som
Premium Beats de 506 W; teto solar elétrico panorâmico Command View (R$
8.000,00) e revestimento em couro Ski
Gray (R$ 1.500,00).

Preços – R$ 132.990,00. Com todos os opcionais (incluindo pintura perolizada), sobe para R$ 154.290,00.

Acelera Ai

Acelera Ai

Jornalistas Eduardo Aquino e Luís Otávio Pires são os editores do site Acelera Aí e da seção veículos do portal Bhaz

Comentários