Home Notícias Esportes No embalo da torcida, Cruzeiro tenta, mas tromba no nervosismo e vê salvação ainda mais distante

No embalo da torcida, Cruzeiro tenta, mas tromba no nervosismo e vê salvação ainda mais distante

Por Christiano Soares

Teve mobilização gigante da torcida, pressão dentro de campo e até gol cruzeirense – anulado após revisão do VAR. Mas nada disso foi o bastante e o Cruzeiro não conseguiu passar do 0 a 0 na noite desta quarta-feira (9), em pleno Mineirão, contra o Fluminense, concorrente direto na luta contra o rebaixamento.

A situação continua dramática e o fantasma da Z4 cresce: além de desperdiçar a chance de se aproximar do tricolor carioca, o Cruzeiro viu o CSA vencer e se afastar. Agora são sete rodadas sem vitória e quatro pontos de distância para o clube alagoano, o primeiro fora da zona da degola.

Na próxima rodada, mais tensão: a Raposa vai a Chapecó encarar outro time da rabeira do Brasileirão. A equipe comandado por Abel Braga precisa vencer de qualquer maneira o lanterna do campeonato, a Chapecoense, no próximo domingo (13), às 19h.

Torcida

Os apaixonados celestes fizeram um verdadeiro show. Espalharam faixas de apoio por BH e, pelas redes sociais, alçaram a hashtag #PeloCruzeiro a um dos assuntos mais comentados de Minas desde a segunda-feira (7). E a ação não ficou apenas no mundo digital. Mais de 38.133 torcedores empurraram o time.

+ Faixas, fé e casa cheia: Torcida do Cruzeiro se prepara para jogo decisivo em BH

Bruno Haddad/Cruzeiro

Surpresa

Com Thiago Neves suspenso, Sassá ganhou a vaga do camisa 10. E o posicionamento do atacante surpreendeu: jogou dentro da área com Fred e não aberto pelas pontas, como era o esperado. Pela esquerda, Abel escalou David, e, pelo outro lado, Robinho.

Jadson ficou com a vaga de Éderson (com dores musculares), e Edilson entrou no lugar de Orejuela (convocado para a Seleção Colombiana). Dedé voltou a zaga após lesão no joelho.

Pressão

Nos minutos iniciais, o Cruzeiro sufocou o Fluminense com marcação dentro do campo adversário. Aos oito minutos, Gilberto tirou o chute de Jadson em cima da linha. No rebote, Sassá balançou as redes pelo lado de fora. Aos 17, David arriscou de fora da área e obrigou Muriel a uma grande defesa.

O Fluminense chegou com perigo pela primeira vez somente aos 22 após uma cabeçada do João Pedro e equilibrou a partida.

Cruzeiro ‘torto’

Durante praticamente todo o primeiro tempo, o Cruzeiro só atacou pela esquerda. Egídio foi bastante acionado junto com David, mas ambos pouco produziram. O lateral tentou vários cruzamentos, sem sucesso. Já o atacante movimentou bastante.

Clima tenso

Com os dois times, gigantes do futebol brasileiro, ameaçados pela zona do rebaixamento, o clima não poderia ser outro: tensão. Ganso e João Pedro quase trocaram socos na etapa inicial. E, no último minuto, Yuri tomou cartão vermelho por agredir Jadson. Mas o lance foi revisto pelo VAR, que alterou a cor do cartão para amarelo.

Olha o VAR de novo…

O cruzeirense vai ter pesadelo com o VAR. Além de cancelar a expulsão de Yuri, a revisão pela tecnologia anulou um gol de Fred. O árbitro Jean Pierre viu falta de Robinho no começo do lance. No mínimo, uma decisão muito polêmica.

De qualquer forma, o Cruzeiro tinha voltado com gás total para a etapa final: Edilson acertou o travessão e cobrou falta que passou pertinho da trave. O ímpeto enchia o torcedor de esperança, mas…

Acabou o gás, bateu o desespero

Aos poucos, o time celeste começou a diminuir o ritmo. A tensão por não conseguir derrotar um concorrente direto começou a apertar. Com isso, o Flu tomou conta do jogo. Não que levasse perigo, mas cadenciava a partida e, com isso, deixava o cruzeirense ainda mais tenso – dentro e fora de campo.

Alívio mais longe e protesto

Com o relógio jogando contra, o clima do estádio refletiu nos atletas. Criação zero, lançamentos equivocados, substituições sem efeito… E o jogo terminou no zero.

Decepção total em um torcida que se doou completamente desde o início da semana: protestos e brigas foram registrados. Torcidas organizadas entraram em conflito e clima esquentou ainda mais. Na saída dos camarotes, a segurança foi reforçada – o vice-presidente do clube, Itair Machado, e o presidente, Wagner Pires, foram os principais alvos.

Na tabela, o Cruzeiro viu a distância para o primeiro time fora da Z4 aumentar: de três para quatro pontos. Portanto, mesmo se a próxima rodada for perfeita para o time celeste, a Raposa continuará na zona da degola.

FICHA TÉCNICA

CRUZEIRO 0 X 0 FLUMINENSE

Local: Mineirão, em Belo Horizonte
Data: 9 de outubro de 2019 (Quarta-feira)
Horário: 21h30
Árbitro: Jean Pierre Goncalves Lima (RS)
Assistentes: Leirson Peng Martins (RS) e Michael Stanislau (RS)
VAR: Jonathan Pinheiro (RS)
Cartão Amarelo: Fred, Robinho, Egídio, Edilson (Cruzeiro); Yuri, Ganso, Igor Julião (Flu)
Cartão Vermelho: André Carvalho, preparador de goleiros (Flu)

CRUZEIRO: Fábio, Edílson, Dedé , Fabrício Bruno e Egídio; Jadson, Henrique, Robinho (Maurício) e David (Marquinhos Gabriel) ; Fred e Sassá(Vinicius Popó)
Técnico: Abel Braga

FLUMINENSE: Muriel, Gilberto, Frazan, Nino e Orinho(Igor Julião); Yuri, Daniel (Dodi), Nenê e Paulo Henrique Ganso (Evandro); Yony González e João Pedro
Técnico: Marcão

Comentários