Home NotíciasMinas GeraisMais de 400 postos de combustível estão irregulares em Minas

Mais de 400 postos de combustível estão irregulares em Minas

O Corpo de Bombeiros vistoriou
1,6 mil postos de combustíveis e revendedores de gás GLP em toda Minas Gerais, nesta
sexta-feira (31). A operação foi realizada para verificar as condições dos
sistemas de prevenção a incêndio dos estabelecimentos. Ao todo, 425 postos foram
flagrados em situação irregular.

Dos postos irregulares, 388 foram notificados, 14 multados e três interditados. As interdições foram realizadas na região metropolitana de BH e uma na cidade de Patos de Minas. Cerca de 1,2 mil empresas foram consideradas em situação regular.

Leia mais: Cansada de ver a filha ser agredida, sogra mata genro em Minas

Segundo os bombeiros, esta é a quinta edição da “Operação Alerta Vermelho” no Estado. Ao todo, a operação empenhou cerca de 600 bombeiros, distribuídos em todas as regionais de Minas.

A inciativa cumpre o
propósito descrito no decreto 44.476 que regulamenta a segurança contra
incêndio e pânico nas edificações e áreas de risco classificadas como postos de
abastecimento e serviço e locais destinados à produção, manipulação,
armazenamento e distribuição de líquidos ou gases combustíveis e inflamáveis.

Histórico

Leia mais: ‘C* e andando pro Bolsonaro’: Versão de outdoor em Sete Lagoas bomba

Em 2017 e 2018, de forma
planejada, o Corpo de Bombeiros se pautou na premissa de disseminação da
cultura de conscientização e orientação por meio da realização de 11 operações
Alerta Vermelho. Nesta fase, equipes de bombeiros militares se dedicaram a
vistoriar edificações, com o objetivo de esclarecer os responsáveis sobre a
legislação do Serviço de Segurança Contra Incêndio e Pânico (SSCIP).

Em 2019, a operação Alerta Vermelho assumiu o caráter fiscalizatório, aplicando sanções cabíveis, de acordo com os dispositivos legais, em casos de irregularidades. De janeiro até o momento, foram realizadas 5 edições da ação, sendo a última em postos de gasolina e depósitos de GLP.

Com informações do Corpo de Bombeiros

Comentários