Home NotíciasBHJovem é morta na Grande BH e foto do corpo é postada no WhatsApp; sargento da PM é o principal suspeito

Jovem é morta na Grande BH e foto do corpo é postada no WhatsApp; sargento da PM é o principal suspeito

Uma jovem, de 23 anos, foi morta, nessa segunda-feira (4), em Vespasiano, na região metropolitana de Belo Horizonte. O suspeito do crime é um sargento da PM (Polícia Militar), de 46 anos. Pelo WhatsApp, o policial teria enviado uma foto do corpo de Patrícia Salviano Irrthum a alguns contatos dela.

Conforme registrado no B.O. (Boletim de Ocorrências), o irmão do policial suspeito procurava por ele desde o começo do dia, e, na parte da noite, ao ir até a casa do sargento, encontrou as portas abertas e as luzes acessas. Militares do 16º Batalhão da PM, onde o sargento trabalha, foram chamados pelo homem que temia entrar sozinho no imóvel localizado no bairro Gávea II.

Leia mais: Vander Lee é homenageado pelo irmão em websérie sobre sambistas mineiros

Ao entrarem em um dos quartos, encontraram Patrícia, morta, sobre uma cama, com um travesseiro no rosto e com manchas de sangue no pescoço. A perícia constatou que ela foi baleada três vezes e que os disparos atingiram a nuca, o rosto e o tórax.

Antes de ser morta Patrícia ganhou presentes do suspeito e foi pedida em casamento (Arquivo pessoal)

Pedido de casamento e morte

Leia mais: Sede da Backer é alvo de novo mandado de busca e apreensão em BH

Testemunhas, que tiveram a identidade preservada, contaram ao BHAZ que o sargento tinha muitos ciúmes da jovem e que eles haviam terminado o relacionamento há poucas semanas. “Eles ficaram juntos por uns 5 anos e, desde que se separaram, a Patrícia morava com uma amiga do serviço. O sargento era muito ciumento”, disse uma delas.

Na tentativa de reatar o relacionamento, no domingo (3), o policial marcou um encontro com a jovem e a pediu em casamento. Ele deu à vítima um ursinho de pelúcia, uma caixinha com alianças e uma carta com o pedido de casamento.

No dia seguinte, a jovem saiu cedo com ele, com destino a um shopping de Belo Horizonte. Por volta das 15h um status foi postado no WhatsApp da jovem com os dizeres: “Fui trair meu marido polícia e deu nisso”.

Mensagem postada no WhatsApp da jovem antes de ser morta (Arquivo pessoal)

Além do status no aplicativo, ele enviou a foto do corpo a contatos registrados no celular da vítima. O BHAZ teve acesso à imagem, mas optou por não publicar a foto.

Procurado pelo BHAZ, o porta-voz da PM, major Flávio Santiago disse que a corporação está trabalhando em conjunto com a Polícia Civil para “elucidar o caso”. “Trabalhamos para localizá-lo e assim que tivermos notícias passaremos. Independentemente de quem quer que seja, nós tomaremos providências. Não admitimos qualquer crime contra a vida”.

A publicação da foto de Patrícia no WhatsApp foi confirmada pela PM, mas, segundo o major, não se pode afirmar quem postou. “Estamos passando todas as informações para a PC. Ainda não podemos afirmar se foi o sargento que fez as postagens”, disse o major.

Segundo a perícia da Polícia Civil, a arma usada no crime foi uma pistola. As buscas pelo sargento continuam. O caso já está sendo investigado pela Polícia Civil de Minas Gerais.

Comentários