Home NotíciasMinas GeraisEstudante leva soco no lugar de mulher, quebra nariz e evita tragédia em Minas

Estudante leva soco no lugar de mulher, quebra nariz e evita tragédia em Minas

O estudante universitário Luiz Eduardo Costa, de 24 anos, decidiu intervir na discussão entre um homem e uma mulher, no Centro de Ouro Preto, região Central de Minas Gerais. Ele levou um soco no rosto e quebrou o nariz. A mulher conseguiu fugir do companheiro, e o estudante registrou boletim de ocorrência sobre o caso. Tanto o homem quanto a mulher são esperados para serem ouvidos pela polícia. O estudante fez um relato no Facebook e contou a situação ao BHAZ.

“Eu estava em uma festa, que era parte das comemorações da minha formatura de Direito. Logo no início, fui a um banheiro que fica do lado de fora da local, com alguns amigos. Meus amigos acabaram ficando para trás e vi um casal descendo o morro, discutindo. O homem estava com uma criança pequena no colo e a mulher vinha junto pedindo para que ele devolvesse o filho dela”, explica Luiz Eduardo ao BHAZ.

Leia mais: Após 62 anos juntos, casal se despede pela última vez de mãos dadas

Segundo o estudante, um homem surgiu descendo o morro, empurrando e agredindo a mulher. “Ele apareceu chutando, chamando de vagabunda, falando que ela não valia nada. Ele estava com uma criança no colo, que toda hora caía um pouco e ele segurava pelo braço. A criança gritava e chorava, enquanto o homem agredia a mãe. Eu estava sentado em uma calçado e assistia à cena”, relata

O estudante ficou pensando se interviria ou não. “Lembrei daquela máxima: ‘em briga de marido e mulher não se mete a colher’. Só que não tinha como não fazer nada. Se eu esperasse a polícia, poderia presenciar um homicídio. Fiquei pensando: ‘eu estou incorrendo em omissão de socorro a vulnerável, por conta da mulher e da criança’. Aí tive que entrar no meio”, explica.

Leia mais: Ex-ator da Globo vende objetos pessoais para se sustentar em quarentena

Ameaças e nariz quebrado

Ele ainda conta que vinha um segundo homem atrás, tentando acalmar o agressor. “O cara estava atrás pedindo calma, tentando separá-los. Mas aí o agressor entregou a criança para ele e começou a chutar a mulher. Quando ele preparou para dar um soco no rosto dela, eu entrei na frente e pedi para ele parar. Foi aí que o soco atingiu meu rosto, quebrando o meu nariz”, relata.

Ainda segundo o estudante, o agressor chegou a ameaçá-lo. “Ele disse que eu não o conhecia, não sabia com quem eu estava mexendo. Falou que iria me matar. Nesse meio tempo, a mulher conseguiu pegar a criança e fugir. Eu caí no chão. Imagina se o soco atinge essa mulher! Ele poderia ter matado ela”, continua Luiz Eduardo.

O estudante registrou um boletim de ocorrência por agressão contra o homem, que já foi identificado. “Eu coloquei a mulher como testemunha ocular. Sobre a minha representação por agressão contra o cara, eu sei que ele vai acabar tendo que pagar uma cesta básica, algo assim. Mas, se ela confirmar a história, ele vai ter que responder criminalmente por tudo o que fez com ela. Mas sei que é complicado, já fui informado que eles têm uma relação de anos. Ela provavelmente tem medo dele”, explica.

Além da agressão

“Eu estou bem fisicamente, mas a agressão, o que eu presenciei, envolve muito mais que isso. Quanto ao meu nariz, vou fazer uma cirurgia para correção, mas vou ficar bem”, conta o estudante.

“Acho que ‘não se mete a colher’ da forma que eu fiz, mas tem hora que é preciso agir. É preciso lutar contra essa sucessão de abusos que as mulheres passam, a gente não pode se calar diante disso. Tem que se investir em medida públicas que combatem o feminicídio, cada vez mais crescente no país”, completa.

Vitor Fernandes

Vitor Fernandes

Repórter do BHAZ desde fevereiro de 2017. Jornalista graduado pela PUC Minas, com experiência em redações de veículos de comunicação. Trabalhou na gestão de redes do interior da Rede Minas e na parte esportiva da UOL.

Comentários