Home Notícias Esportes Só com milagre? Cruzeiro perde, desperdiça nova chance e fica cara a cara com rebaixamento inédito

Só com milagre? Cruzeiro perde, desperdiça nova chance e fica cara a cara com rebaixamento inédito

Mais uma vez, a torcida cruzeirense viveu a tensão de um clima de decisão na partida contra o Vasco, nesta segunda-feira (2), pela 36ª rodada do Brasileirão. A derrota por 1 a 0 no São Januário, no Rio de Janeiro, apertou ainda mais a Raposa na luta contra um rebaixamento inédito no campeonato e deixou a situação ainda mais dramática.

Agora, o time só tem duas partidas para tentar superar o prejuízo e também depende do desempenho de outros times nas próximas rodadas. O Cruzeiro ocupa a 17ª posição na tabela, com 36 pontos, enquanto o Ceará tem dois pontos a mais e é o 16º colocado.

O Cruzeiro já pode ser matematicamente rebaixado na próxima quinta-feira (5): se o time perder para o Grêmio, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre, e o Ceará empatar ou vencer o jogo contra o Corinthians, na quarta-feira (4), a Raposa já não terá mais chances de se recuperar e jogará a Série B em 2020.

+ 6×1: Seis fatores que podem levar o Cruzeiro ao rebaixamento e um motivo para acreditar na salvação

O Grêmio, próximo adversário do Cruzeiro, ocupa a 4ª posição na tabela. O último jogo pelo Brasileirão é contra o Palmeiras e acontece no domingo (8), às 16h, no Mineirão. O time alviverde é o 3º colocado do Brasileirão, com 68 pontos.

Troca de técnico

Na reta final do Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro apostou na troca de técnicos para tentar a salvação da Série B. Depois da derrota para o CSA por 1 a 0, no Mineirão, Abel Braga deixou o clube na última quinta-feira (28). Quem veio para treinar o time foi Adilson Batista, que comandava o Ceará até a derrota para o Flamengo por 4 a 1, na última quarta-feira (27).

+ Desespero total! Cruzeiro é derrotado no Mineirão para o CSA e vê a Série B mais próxima

Vindo de um concorrente direto na luta contra o rebaixamento, Adilson deu início à sua segunda passagem pelo Cruzeiro – ele treinou o time de 2008 a 2010. Em seu primeiro pronunciamento, deixou claro para que veio: “Não é com loucura que vamos sair dessa situação, e sim com organização, disciplina, conversa, treinamento, atitude. É isso que penso”.

Jogador polêmico

O técnico não foi a única novidade para o Cruzeiro nesta rodada: o time entrou em campo sem Thiago Neves, jogador que causou confusão nos últimos dias. No último jogo, o meia errou um pênalti decisivo contra o CSA e o jogo terminou com a derrota.

A insatisfação da torcida com o jogador já vinha de antes e só aumentou depois da partida. O domingo foi a gota d’água para a permanência de TN10 no time: ele foi visto visto em um camarote do evento “Tardezinha”, no Mineirão, durante a recuperação de uma lesão na coxa.

+ Thiago Neves é afastado após ser flagrado em show no Mineirão: ‘Não veste mais a camisa do Cruzeiro’

O jogador já não participaria do jogo contra o Vasco, mas acabou sendo afastado do Cruzeiro depois da polêmica. O gestor de futebol do clube, Zezé Perrella, comunicou o afastamento através e um vídeo divulgado nesta segunda-feira.

Começo tenso

O jogo já começou assustando o Cruzeiro: logo aos 5 minutos, Egídio, do Cruzeiro, trombou no atacante Rossi logo na entrada da área. O time carioca pediu pênalti, mas o VAR não marcou nada.

Mesmo sem a vantagem do pênalti, o Vasco deu um jeito de começar com força: aos 10 minutos do primeiro tempo, o volante colombiano Fredy Guarín chutou da entrada na área e a bola entrou no canto direito do gol de Fábio.

O nervosismo do cruzeirense, que já não era pequeno, só aumentou.

Pênalti ou não?

No meio do jogo, a tensão só aumentou: um pênalti marcado a favor do Vasco gerou dúvida e deixou a partida parada por quase cinco minutos. O árbitro revisou o lance na cabine do VAR e cancelou a penalidade máxima ao ver que Cacá não cometeu falta dentro da área.

Chegou perto!

No segundo tempo, o Cruzeiro conseguiu dar trabalho ao goleiro do Vasco. Aos 13 minutos, Egídio recebeu a bola e chutou forte na área, mas caiu direto nas mãos de Fernando Miguel.

Dois minutos depois, quase que entra! Marquinhos Gabriel cruzou alto para Fred, que cabeceou bonito em direção ao gol. O goleiro até se enrolou, mas conseguiu defender e colocou a bola para escanteio.

Quando a fase é ruim…

Aos 20 minutos do 2T, falta em cima de Pedro Rocha e o Cruzeiro teve mais uma chance: Egídio cobrou a falta frontal, mas chutou com força demais e a bola saiu por cima do gol de Fernando Miguel.

Nos últimos minutos, o cruzeirense teve esperança de novo. A tensão tomou conta do jogo quando uma falta foi marcada a favor do Cruzeiro. Os lances de cobrança de falta e dois escanteios cobrados em sequência foram grandes chances para a Raposa, mas o ataque não conseguiu aproveitar.

No finalzinho, a maior chance de todas: a zaga do Vasco cortou mal e Fred recebeu a sobra da bola e ajeitou bonito para Marquinhos Gabriel, que chutou mal e levou a bola para fora da trave.

Depois desse “quase”, o Cruzeiro até continuou pressionando na área, mas não conseguiu marcar e o jogo acabou com a derrota do time mineiro.

FICHA TÉCNICA
VASCO 1 X 0 CRUZEIRO

Local: São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 2 de dezembro de 2019, segunda-feira
Hora: 20h (de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Assistentes: Bruno Raphael Pires (GO) e Leone Carvalho Rocha (GO)
VAR: Andre Luiz de Freitas Castro (GO)

VASCO: Fernando Miguel, Yago Pikachu, Osvaldo Henriquez, Leandro Castán e Danilo Barcelos; Richard (Fellipe Bastos), Raul e Freddy Guarín; Rossi, Marrony (Bruno Gomes) e Ribamar (Tiago Reis)
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

CRUZEIRO: Fábio, Orejuela, Cacá, Léo e Egídio; Henrique, Éderson (Marquinhos Gabriel) e Thiago Neves; Sassá, Pedro Rocha (Ezequiel) e Joel (Fred)
Técnico: Adilson Batista

Comentários