Home NotíciasEsportesApós Evoque, Gabigordo tira dreads de R$ 600 em menos de um dia: ‘Fiquei feliz, doía a cabeça’

Após Evoque, Gabigordo tira dreads de R$ 600 em menos de um dia: ‘Fiquei feliz, doía a cabeça’

Para ser sósia de jogador, não basta nascer parecido: precisa acompanhar as (frequentes) mudanças de visual do famoso. “Gabigordo” que o diga! O rapaz que transformou sua semelhança com o atacante Gabigol, do Flamengo, em profissão gasta em média R$ 400 por mês para manter o “look”. Sem falar nas novidades de última hora, como os dreads de R$ 600 que não duraram nem um mísero dia.

Este, aliás, foi o último desafio de Jeferson Salles, também conhecido como “Gabigol da Torcida”. Depois de conquistar os títulos da Libertadores e do Brasileirão, o atacante do Flamengo resolveu mudar o visual e colocou dreads loiros. Jeferson, que estava com viagem marcada na semana, combinou de copiar o cabelo cinco dias depois, em transmissão ao vivo no “Bom Dia Rio”, da Globo.

“Eu fiz uma parceria com o salão e a mudança saiu no programa, mas o Gabigol já tinha feito stories no Instagram falando que ia tirar. Só não imaginei que ia ser tão rápido. Um dia depois, enquanto eu estava fazendo a manutenção da cor no salão, recebi a mensagem de que ele tinha tirado e tirei também”, explicou Jeferson ao BHAZ. De acordo com o salão, o dread é feito com cabelo natural e custa R$ 600.

A mudança rápida gerou muitos memes nas redes sociais: a internet brincou com o boato de que o jogador não gosta do sósia e fez piada, se solidarizando com Jeferson e dizendo que Gabigol tirou os dreads para atrapalhar seu trabalho.

Ao contrário do que os usuários da internet supunham, Jeferson contou que, na verdade, ficou feliz por ter que tirar os dreads. “Eu passei só uma noite com eles, mas não gostei nada. Incomoda pra dormir, coça e dói a cabeça. Quando ele tirou eu fiquei feliz”, explicou.

Apesar de não ter pagado nada pela mudança, graças à parceria com o salão, as outras manutenções do visual não saem baratas. De dois em dois dias, o sósia faz a sobrancelha, a barba e retoca o cabelo, chegando a gastar em média R$ 400 por mês.

Sucesso na torcida

Não se sabe se o Gabigol “original” gosta do sósia, mas a torcida do Flamengo o abraçou. Hoje, Jeferson cobra de R$ 1 mil a R$ 1,5 mil para comparecer a eventos, como festas infantis, encontros de torcidas e presenças em bares esportivos.

O trabalho recompensa: no início de novembro, “Gabigordo” comprou um carro avaliado em mais de R$ 100 mil. Uma loja de veículos fez uma postagem com o sósia, mostrando o modelo Evoque, da marca Land Rover, comprado por Jeferson.

A internet não perdeu a oportunidade de comentar a aquisição e, agora, todo mundo também quer virar sósia de jogador. “Ala, oh, Gabigordo de evoque a gente aqui tudo debochando”, comentou um torcedor flamenguista no Twitter.

Mesmo se os rumores se concretizarem e Gabigol deixar o Flamengo, Jeferson pretende continuar trabalhando como sósia. “A expectativa é que fique, até porque sou flamenguista. Mas, se sair, não vou deixar se ser sósia, até porque a torcida me abraçou e não tem dinheiro que supere esse carinho”, contou o Gabigol da Torcida.

Sofia Leão

Sofia Leão

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco na editoria de Esportes no BHAZ.

Comentários