Home Guia BHAZ Viva o cinema nacional! 23ª Mostra de Tiradentes vai valorizar a imaginação

Viva o cinema nacional! 23ª Mostra de Tiradentes vai valorizar a imaginação

Cinema nacional de qualidade, gratuito e para todos. Essa é a proposta do maior evento dedicado ao cinema brasileiro contemporâneo no país, que inaugura mais uma edição no dia 24 de janeiro. A 23ª Mostra de Cinema de Tiradentes vai abrir o calendário do audiovisual com programação gratuita para a família inteira, pré-estreias exclusivas, exibições de mais de 100 filmes e homenagem aos atores Antônio e Camila Pitanga.

Ao longo de nove dias de evento, o público é convidado participar de uma programação intensa e diversificada, que inclui a exibição de mais de 100 filmes brasileiros em pré-estreias nacionais e mostras temáticas, homenagens, debates, mesas temáticas, diálogos audiovisuais e encontros com críticos de cinema, acadêmicos, pesquisadores, diretores, profissionais do audiovisual e imprensa.

Integram também a programação do evento ações formativas, que visam a capacitação para o mercado de cinema e criam oportunidades para novas gerações, com oficinas para adultos e jovens que certificarão mais de 200 alunos.

Além da capacitação profissional, a mostra também investe em entreter todas as idades: a Mostrinha de Cinema garante diversão para a criançada e toda família em sessões de longas e curtas-metragens voltados ao público infanto-juveniljá a Mostra Jovem reúne curtas que dialogam com experiências adolescentes, exposições de arte e ainda shows e performances com artistas de destaque na cena mineira e nacional. Estima-se que esta edição beneficiará um público de mais de 35 mil pessoas.

“A imaginação como potência” é o norte eleito pela 23ª edição da mostra. O tema não foi escolhido por acaso: a curadoria, sob coordenação do crítico Francis Vogner dos Reis, propôs essa temática para reforçar que, mesmo numa época de dúvidas, o cinema brasileiro vive um momento de absoluta efervescência criativa e de recepção. “Existem filmes, documentários e ficções, que olham o presente e colocam as coisas em termos históricos, atentando para o mundo como ele é e se questionando como ele poderia ser”, destaca Francis.

Desafios

Esta edição da mostra vem em um momento crítico para o cenário do cinema brasileiro: Este ano, a Ancine (Agência Nacional do Cinema) passou por uma série de desafios e cortes. Em setembro, o presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) apresentou ao Legislativo um projeto de lei que ataca a principal fonte de fomento de produções audiovisuais no país.A proposta prevê, para 2020, um corte de quase 43% do orçamento do FSA (Fundo Setorial do Audiovisual).

Além disso, uma série de polêmicas envolvendo a Ancine também marcou o ano de 2019, como a suspensão do edital para projetos com temática LGBT ou a mais recente retirada de cartazes de filmes nacionais da sede e do site da agência.

Os quadros ficavam expostos nos dois prédios da Ancine no Rio de Janeiro desde 2002 e mostravam imagens de clássicos do cinema brasileiro, como “Cabra marcado para morrer”, de Eduardo Coutinho, e “Deus e o diabo na terra do Sol”, de Glauber Rocha. De acordo com a agência, a decisão foi tomada para “manter a impessoalidade, isonomia e interesse público do órgão”.

Nas redes sociais, vários usuários demonstraram indignação com a medida, que foi interpretada como censura, e passaram a compartilhar os cartazes de seus filmes nacionais favoritos. Confira abaixo alguns dos mais citados pelo público:

Homenageados

Diante dessa perspectiva de desafios, a 23a Mostra de Cinema de Tiradentes decidiu homenagear os atores Antônio e Camila Pitanga. Pai e filha, homem e mulher, negro e negra, 80 e 42 anos. Ícones de seus próprios tempos, por motivos e trajetórias distintas, Antônio e Camila representam, para a organização do evento, a brasilidade mais original e singular, o talento e a presença de quem vivencia as contradições do país por dentro.

Para Francis Vogner dos Reis, “homenagear os dois juntos é afirmar não só suas trajetórias, mas também reconhecer suas diferenças – criativa, simbólica e política”. Além disso, ambos são nomes de peso no cenário da produção audiovisual no Brasil.

Pré-estreia

O filme escolhido para inaugurar a mostra com o pé direito é um dos muitos que têm Antônio Pitanga no elenco. “Os Escravos de Jó”, do diretor cearense Rosemberg Cariry, estará em pré-estreia mundial na noite de 24 de janeiro, em Tiradentes. No filme, os estudantes Samuel e Yasmina se apaixonam em Ouro Preto e precisam vencer dificuldades e preconceitos para afirmarem o amor. Personagens do passado e do presente cruzam os caminhos dos jovens, arrastando-os para um inesperado destino.

O longa-metragem “Na boca do mundo”, com direção e atuação de Antônio Pitanga, e os longas “Eu receberia as piores notícias de seus lindos lábios”, de Beto Brant, com Camila Pitanga no elenco; e “Pitanga”, dirigido por Camila sobre a trajetória e carreira do pai, completam a seção Mostra Homenagem.

23ª Mostra de Cinema de Tiradentes

Onde? Tiradentes

Quando? De 24 de janeiro a 1 de fevereiro

Quanto? GRATUITO

Mais informações? Acesse aqui

Comentários