Home NotíciasPolítica‘Bolsonaro traidor’: Presidente é atacado por apoiadores após ignorar Moro e apoiar Freixo em pacote anticrime

‘Bolsonaro traidor’: Presidente é atacado por apoiadores após ignorar Moro e apoiar Freixo em pacote anticrime

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), tem sido criticado por apoiadores por conta da aprovação do Pacote Anticrime, sancionado por ele nessa terça (24) e publicado em uma edição extra do Diário Oficial da União nesta quarta (25).

Pelas redes sociais, diversos eleitores de Bolsonaro o acusaram de traição. No Twitter, a hashtag “Bolsonaro traidor” ocupa o primeiro lugar de assuntos mais comentados no país desde a manhã de hoje. Até o início da tarde, a tag já contava com mais de 10 mil menções.

A revolta dos eleitores é por conta da aprovação do projeto modificado pelo Congresso Nacional, que teria “enfraquecido” a proposta inicial apresentada pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro.

A principal crítica apontada pelos bolsonaristas foi à emenda mantida no projeto de autoria do deputado Marcelo Freixo (PSOL-RJ), que cria o sistema de juiz de garantia. Ou seja, o magistrado que cuida do processo criminal não será responsável pela sentença do caso.

Moro fala em avanço

Moro, por sua vez, disse nesta quarta (25), em Brasília, que o texto final do projeto anticrime, sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro, contém avanços para a legislação criminal.

Em nota à imprensa, Moro explicou os motivos pelos quais o Ministério da Justiça se posicionou contra a sanção do mecanismo do juiz de garantias, que foi mantido pelo presidente.

“O presidente da República acolheu vários vetos sugeridos pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública. O MJSP [Ministério] se posicionou pelo veto ao juiz de garantias, principalmente, porque não foi esclarecido como o instituto vai funcionar nas comarcas com apenas um juiz (40% do total); e também se valeria para processos pendentes e para os tribunais superiores, além de outros problemas. De todo modo, o texto final sancionado pelo Presidente contém avanços para a legislação anticrime no País”, declarou Moro.

Com Agência Brasil

Comentários