Multidão canta louvor e homem desiste de se jogar de prédio em MG

Agora MG/YouTube/Reprodução

Um vídeo que registra uma multidão de pessoas cantando para um homem que ameaçava pular de um prédio tem emocionado internautas de diferentes partes do Brasil. Nas imagens, dezenas de pessoas se reúnem na rua e cantam uma música gospel para tentar impedi-lo de tirar a própria vida.

O episódio ocorreu na cidade de Patos de Minas, na região do Alto Paranaíba, no dia 10 de dezembro de 2019, mas o vídeo começou a viralizar nesta semana. Enquanto o Corpo de Bombeiros se mobilizava para impedir o suicídio, a calçada se encheu de mulheres, que cantaram a música “Raridade”, do cantor Anderson Freire.

“Você é um espelho que reflete a imagem do Senhor, não chore se o mundo ainda não notou. Já é o bastante Deus reconhecer o seu valor, você é precioso, mais raro que o ouro puro de Ofir. Se você desistiu, Deus não vai desistir, ele está aqui pra te levantar se o mundo te fizer cair”, diz o refrão cantado por elas.

Segundo o Patos Notícias, portal de notícias local, a própria família do homem acionou os bombeiros para impedir que ele se jogasse da janela. Depois de três horas de mobilização das autoridades e da multidão, ele desistiu da ideia e foi levado para tratamento psiquiátrico.

O capitão Arthur Fabio, do Corpo de Bombeiros, disse ao portal que a vítima sofre de esquizofrenia e estava se sentindo perseguido por alguém. A rua havia sido interditada durante a mobilização.

Prevenção ao suicídio

Ligações para o Centro de Valorização da Vida (CVV), que auxilia na prevenção do suicídio, passaram a ser gratuitas em todo o país em julho de 2018. Um acordo de cooperação técnica com o Ministério da Saúde, assinado em 2017, permitiu o acesso gratuito ao serviço, prestado pelo telefone 188.

Por meio do número, pessoas que sofrem de ansiedade, depressão ou que correm risco de cometer suicídio conversam com voluntários da instituição e são aconselhados. Antes, o serviço era cobrado e prestado por meio do 141.

A ligação gratuita para o CVV começou a ser implantada em Santa Maria (RS), há quatro anos, após o incêndio na boate Kiss, que matou 242 jovens. O centro existe há 55 anos e tem mais de 2 mil voluntários atuando na prevenção ao suicídio. A assistência também é prestada pessoalmente, por e-mail ou chat.