Time desiste de contratar goleiro Bruno depois de sofrer represália na internet

Poços de Caldas FC/Facebook/Reprodução

A repercussão negativa que se deu depois da divulgação de uma possível contratação do goleiro Bruno pelo Fluminense de Feira, que disputa a primeira divisão do Campeonato Baiano, fez o clube desistir da negociação. Em nota, o time anunciou a desistência e alfinetou quem fez as críticas, sugerindo que usem as redes sociais para darem apoio à equipe.

“Pedimos aos mesmos que usaram ás redes sociais para criticarem a possível contratação, agora use ás mesmas para auxiliar o Fluminense de Feira, e até mesmo se associando ao clube”, diz um trecho do comunicado.

Além dos comentários nas redes sociais, que repudiam a volta do jogador ao futebol, o discurso de Jéssica Senra, apresentadora da afiliada da Globo na Bahia, viralizou na internet e reafirmou as críticas populares.

+ Jornalista da Globo critica volta de goleiro Bruno ao futebol: ‘Feminicida na posição de ídolo’

No ar pelo Bom Dia Bahia, a jornalista se posicionou contra a possível contratação do jogador, sentenciado pelo assassinato de Eliza Samudio. “Contratar para um time de futebol um assassino, um homem que mandou matar a mãe do seu filho, esquartejar, dar o corpo para os cachorros comerem é um desrespeito a nós mulheres”, disse ela, no vídeo que se popularizou na internet.

A nota do Fluminense de Feira recebeu críticas de todos os lados. Além do tom irônico e da posição defensiva, os erros de português chamaram atenção na internet. “Misericórdia, não tem uma coisa boa nisso tudo. Nem o português a gente consegue salvar nessa história”, comentou uma usuária no Twitter.

Com o fim das negociações com o Fluminense de Feira, Bruno pode encaminhar negociações com Operário de Várzea Grande, que disputa a primeira divisão do campeonato mato-grossense. O time também já sofre críticas nas redes sociais, assim como as que foram direcionadas ao Fluminense de Feira.

Em setembro de 2010, Bruno Fernandes foi preso, suspeito de envolvimento no sumiço da modelo Eliza Samudio, com quem mantinha uma relação íntima. Em 2013, ele foi condenado a 20 anos e 9 meses de prisão pelo homicídio triplamente qualificado e ocultação do cadáver de Eliza e, também, pelo sequestro e cárcere privado do filho.

Sofia Leão
Sofia Leãosofia.leao@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco na editoria de Esportes no BHAZ.