Polícia confirma segunda morte por síndrome nefroneural em BH; vítima é idoso de 76 anos

IMAGEM ILUSTRATIVA (Arquivo/Agência Brasil)

A Polícia Civil de Minas Gerais confirmou, na manhã desta quarta-feira (15), a morte de um idoso, de 76 anos, por causa da síndrome nefroneural. É o segundo óbito confirmado em decorrência da enfermidade. A relação da doença com o possível consumo da cerveja Belorizontina, da Backer, segue sendo investigada.

+ Paciente internado com doença ‘misteriosa’ morre em Minas; caso é investigado

Antônio Márcio Quintão estava internado no Hospital Mater Dei, na capital mineira, e é o segundo óbito confirmado pela síndrome. O corpo dele foi levado ao IML (Instituto Médico Legal) para processos de exame e perícia.

+ ‘Não bebam Belorizontina! De nenhum lote’, afirma CEO da Backer; cervejaria está paralisada

O primeiro óbito em decorrência da síndrome foi de Paschoal Demartini Filho, de 55 anos. O homem estava internado em Juiz de Fora, na Zona da Mata Mineira, e morreu no último dia 7.

Investigação

O número de mortos pode aumentar, pois autoridades investigam o óbito de uma idosa, de 60 anos, em Pompeú. Segundo familiares, a mulher esteve em Belo Horizonte no mês de dezembro e ingeriu a cerveja Belorizontina. O caso ainda é investigado.

+ Idosa morre após ingerir Belorizontina no Buritis; caso é investigado

A SES-MG (Secretaria de Estado de Saúde) investiga 17 casos suspeitos de intoxicação exógena por dietilenoglicol. Quatro casos foram confirmados, sendo uma morte. O óbito do idoso ainda não foi confirmado pela pasta.

Os outros 13 restantes continuam sob investigação, pois as vítimas apresentaram sinais e sintomas com relato de exposição.

Vitor Fórneas
Vitor Fórneasvitor.forneas@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política.