Home NotíciasBH‘Parecia o mar’: Chuva devasta bairros de Contagem, deixa 200 desalojados e afetados precisam de ajuda

‘Parecia o mar’: Chuva devasta bairros de Contagem, deixa 200 desalojados e afetados precisam de ajuda

Com Guilherme Gurgel

A chuva desse domingo (19) deixou ao menos 200 pessoas desalojadas e outras dez famílias desabrigadas em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. Os afetados pelo temporal necessitam de doações.

“Nesse primeiro momento, eles precisam de alimentos e roupas. A maioria das pessoas perdeu tudo”, explicou o coordenador municipal de Defesa Civil, Samuel Martins Lara. Os principais afetados são moradores de vilas na região, tais quais Barraginha, São Paulo, Itaú e Marimbondo.  

Guilherme Gurgel/BHAZ

‘Um desastre’

Lara explicou que, em 40 minutos, choveu o estimado para um mês inteiro. A serviços gerais Marilda Gomes, de 50 anos, é uma das afetadas. Ela já enfrentou ao menos quatro enchentes no bairro Vista Alegre, no limite entre Contagem e Belo Horizonte. 

“A chuva de ontem (domingo) foi a pior. Inundou a minha sala inteira e o portão ficou pendurado”, conta ao BHAZ. No momento do temporal, ela fazia almoço no bar da irmã, Marina Gomes.

“As panelas e as compras foram embora. Foi um desastre mesmo”, acrescentou Marina. A sala da casa da profissional de serviços gerais está encharcada, assim como os móveis. 

Temporal deixa estrago no bairro Vista Alegre, no limite entre Contagem e BH (Guilherme Gurgel/BHAZ)

Na virada de 2008 para 2009, Marilda chegou a perder todo o enxoval que fez para o neto.”Eu tenho síndrome do pânico e meu neto também. Quando chove, ele não vem aqui. São 40 anos vivendo nesse inferno, não sei mais o que fazer”, complementou a serviços gerais.

Ela reclama ainda que, mesmo pagando o IPTU, a situação não muda. “Já não aguento mais, só consegui tirar a televisão”, disse. As irmãs registraram um boletim de ocorrência e acionaram a Defesa Civil do município. 

Já a aposentada Mariza Nascimento, de 68 anos, é outra afetada e está com o emocional abalado após o temporal. “Foi muito rápido. A água, quando vem, parece o mar. Começamos a tirar as coisas e os bueiros não suportaram. Salvamos o que conseguimos”, contou.

Na manhã desta segunda-feira (20), Mariza e o filho se juntaram para colocar o que conseguiram salvar para secar. “Eu acho que as autoridades deveriam fazer alguma coisa por nós. Talvez transformar essa rua em um local sem saída”, finalizou. 

Mariza tenta salvar o colchão (Guilherme Gurgel/ BHAZ)

Como ajudar?

São dezenas de famílias que perderam tudo. As autoridades informam que, quem deseja ajudar, estão sendo recebidos cestas básicas, colchonetes, água mineral, roupas, produtos de limpeza e cobertores.

As doações podem ser feitas das 8h às 17h nos seguintes endereços:

  • Escola Municipal Pedro de Alcântara Junior: localizada na rua Padre Antônio Vieira, número 463, no bairro Jardim Industrial.
  • Escola Municipal Virgílio De Melo Franco: localizada na rua Luminosa, número 75, na Vila São Paulo.
  • Capela Nossa Senhora Fátima: localizada na rua Amanda, 620, na Vila Betânia 
  • Regional Vargem das Flores: rua  VL 7, 249, Nova Contagem
  • Regional Eldorado: avenida José Faria da Rocha, 1.016, 3º andar, Eldorado
  • Regional Industrial: rua Marquês do Paraná, 95, Industrial
  • Regional Riacho: rua Solimões, 204, Novo Riacho
  • Regional Nacional: rua Santa Maria, 1.076, Nacional
  • Regional Petrolândia: rua Refinaria Duque de Caxias, 663, Petrolândia
  • Regional Ressaca: rua Rodrigues da Cunha, 430, São Joaquim
  • Regional Sede: rua Manoel de Matos, 126, Central Park

Comentários