Home NotíciasBH‘Cancelem o rolê de sexta’: Risco de temporal amedronta população e BHAZ tira dúvidas

‘Cancelem o rolê de sexta’: Risco de temporal amedronta população e BHAZ tira dúvidas

As fortes chuvas que atingiram Belo Horizonte nos últimos dias que podem ocorrer novamente preocupam os cidadãos da capital mineira. Mensagens para não sair de casa nesta sexta-feira (24) estão circulando pelas redes sociais. As dúvidas têm amedrontado os belo-horizontinos.

Para responder alguns destes questionamentos, o BHAZ conversou com a Defesa Civil e com o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) para entender essa questão.

A Defesa Civil explica que há uma previsão de chuva forte, que pode chegar aos 100 milímetros nesta sexta. Por causa disso, a prefeitura de BH instalou um comitê no COP (Centro Integrado de Operações), de maneira preventiva. Uma força-tarefa com a Defesa Civil, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros será reunida .

Sem alarde

O órgão municipal informou ainda que não é preciso se desesperar por conta dos temporais de sexta-feira. A Defesa Civil reforça, porém, que, durante o temporal, não se deve trafegar por vias sujeitas a alagamentos.

Ver essa foto no Instagram

Atenção! ⚠️ . Tem sido divulgado nas redes sociais um áudio do Coordenador Adjunto da Defesa Civil de Minas Gerais, Tenente-Coronel Flávio Godinho, sobre um alerta de fortes chuvas em Betim. . Ressaltamos que o áudio foi gravado nessa segunda-feira (20/01), às 17h, e é relativo, apenas, para as chuvas dessa data e horário.

Uma publicação compartilhada por Defesa Civil de Minas Gerais (@defesacivil_mg) em

É importante deixar claro que não há uma previsão que identifique exatamente o dia que o temporal atingirá a cidade. O órgão pede que a população fique atenta aos alertas emitidos pelas redes sociais oficiais da Defesa Civil. Também é possível receber os alertas por SMS, basta enviar o CEP de sua rua para o número 40199.

+ Áudio de tempestade severa viraliza e confunde moradores

Por que pode chover tanto?

O meteorologista Cléber Souza, do Inmet, explica que o grande volume de chuvas é causado por um sistema de baixa pressão no oceano. “Nos próximos dias, isso vai favorecer o aumento da área de instabilidade, principalmente na região Sudeste. Os modelos meteorológicos indicam que pode chover em grande volume em BH e região metropolitana, além da Zona da Mata e Vale do Rio Doce”, explica Souza.

“Pode ocorrer durante todo o dia, sem uma hora exata. Também não é possível prever se o volume cairá em 1, 2 ou 4 horas. Estamos estimando que essa grande chuva caia a partir desta sexta-feira. Depois disso, a intensidade deve diminuir, mas os temporais continuam por mais dias”, completa o meteorologista.

“Chuva de mil anos”

O coronel Alexandre Lucas, secretário Nacional de Defesa Civil, em coletiva nessa terça-feira (20), explicou que o termo “chuva de mil anos” é uma estatística que se faz a partir da incidência do volume de chuva durante um período. “Ou seja, estatisticamente falando, desde quando começou a se verificar isso (o volume de chuvas). Se aconteceu agora, qual a probabilidade de acontecer de novo? Em tese aconteceria agora e só depois daqui a mil anos. Ou teria acontecido há mil anos e só agora aconteceu de novo”, detalhou o secretário.

+ BH pode ter nova ‘Chuva de mil anos’ até sábado, com volume superior a de domingo

“Isso tem uma implicação muito grande nos projetos de macrodrenagem e de microdrenagem. Quando uma cidade vai fazer um projeto de bocas-de-lobo, rios, galerias, eles pegam essa recorrência de chuva, para dimensionar esses projetos. Usam-se de chuvas de 50, 100 anos”, acrescenta.

Ainda segundo o coronel, nenhuma cidade usa de fato a chuva de mil anos, porque é um temporal raro e com um volume de água muito grande. Por causa disso, os custos para projetos seriam infinitamente mais caros. “O custo dela seria infinitamente maior do que a temos no mundo inteiro. É uma chuva muito rara, que tem tido episódios mais frequentes por conta das mudanças climáticas que temos vivido”, finaliza.

Recomendações

Durantes as chuvas, a Defesa Civil pede para que as pessoas estejam bem atentas. Veja algumas recomendações:

  • Redobre a sua atenção! Evite áreas de inundação e não trafegue em ruas sujeitas a alagamentos e próximos aos córregos e ribeirões no momento de forte chuva.
  • Não atravesse ruas alagadas ou deixe crianças brincando na enxurrada e nas águas dos córregos.
  • Não se abrigue nem estacione veículos debaixo de árvores.
  • Atenção especial em áreas de encostas e morros.
  • Jamais se aproxime de cabos elétricos rompidos. Ligue imediatamente para CEMIG (116) ou Defesa Civil (199).
  • Se você observar o aparecimento de fendas, depressões no terreno, rachaduras nas paredes das casas e o surgimento de minas d’água avise imediatamente a Defesa Civil (199).
  • Em caso de raios: não permaneça em áreas abertas e altas, não use equipamentos elétricos.
Vitor Fernandes

Vitor Fernandes

Jornalista no Portal BHAZ

Comentários