Home NotíciasEsportesPesadelo virou alívio: Cruzeiro leva 2, mas combo experiência e juventude dá resultado

Pesadelo virou alívio: Cruzeiro leva 2, mas combo experiência e juventude dá resultado

Por Sara Zeferino

O confronto na noite deste domingo (2) contra o Tupynambás, em Juiz de Fora, começou com sinais de que seria mais um capítulo do pesadelo recente vivido pelo cruzeirense. O time do interior abriu 2 a 0 em apenas 13 minutos de jogo. Mas o Cruzeiro, também em um curto período, conseguiu virar com sobra e, por pouco, não transformou o duelo em goleada.

Resultado: 4 a 2 e, mesmo com um jogo a menos, ultrapassa o arquirrival Atlético e se mantém firme como a única equipe com 100% de aproveitamento. A Raposa, agora, volta a campo para um clássico regional contra o Américo, no próximo domingo (9), no Mineirão, às 16h.

Chegou, entrou!

O Cruzeiro colocou em campo os cinco reforços que já foram contratados para essa temporada. O técnico Adilson Batista aproveitou o jogo contra o Tupynambás para testar as novas peças: o lateral-esquerdo João Lucas; o volante Filipe Machado; o meia Everton Felipe; e os atacantes Jhonata Robert e Roberson.

Domínio do… Tupynambás!

Tupynambás surpreendeu o time celeste e começou o jogo pressionando e buscando gol. Logo aos 6 min, o lateral-direito Grafite mandou um chute com efeito, marcou um belo gol e abriu o placar para o time de Juiz de Fora. Pouco depois, aos 13, uma falha do volante Felipe Machado deixou a bola limpinha para o atacante Fabinho Alves não perdoar e fazer o segundo gol do Tupynambás. Cheiro de mais uma derrota pra riscar da memória?

Sem jogar a toalha

Mesmo em desvantagem no placar, o Cruzeiro tentou se recuperar no 1T, mas encontrou muita dificuldade na elaboração das jogadas. A falta de criatividade junto com a retranca do Tupynambás deixou a situação complicada para o time da capital, que não conseguiu levar perigo ao gol do goleiro Gabriel Bottan.

Novo tempo, novo jogo

Parecia quase outro jogo. Se no 1T o Cruzeiro sofreu muito e praticamente não levou perigo ao Tupynambás, na etapa final sobrou domínio e agressividade. Com muita pressão e mais paciência para criar as jogadas, o time de Adilson Baptista voltou para o 2T determinado em, pelo menos, diminuir a desvantagem – e a dedicação deu resultado.

Experiência e seus atalhos

Mesmo com um time mais jovem para essa temporada, o Cruzeiro ainda conseguiu manter alguns nomes com mais vivência no futebol. Um deles foi o lateral-direito Edilson, que aceitou a redução salarial para ajudar na reconstrução do time. E o jogador mostrou como pode ser útil ao time nesse ano: marcou dois gols no duelo, ambos de bola parada – uma falta e um pênalti, fundamentais para a recuperação celeste.

Na raça!

Quem disse que só um time de BH joga na raça? Em um segundo tempo com outra postura, o Cruzeiro buscou uma virada que parecia muito distante e difícil. Após o toque de experiência, a vitalidade e o talento da juventude voltaram a brilhar. A novidade Roberson deixou a prata da casa Maurício na cara do gol. O jovem chutou firme de esquerda e decretou a virada.

O mesmo Maurício bagunçou o lado direito e deixou outro reforço – Jhonata Robert – totalmente livre para empurrar para as redes. E quase deu tempo pra mais um. Judivan fez fila, mas, na hora de finalizar, chutou à esquerda do gol adversário. 4 a 2, placa final!

FICHA TÉCNICA
TUPYNAMBÁS 2X4 CRUZEIRO

Local: Estádio Municipal Radialista Mário Helênio, Juiz de Fora (MG)
Data: 02 de fevereiro de 2020, domingo
Horário: 19h (Brasília)
Arbitragem: Ronei Candido Alves
Auxiliares: Frederico Soares Vilarinho e Marcyano da Silva Vicente

TUPYNAMBÁS: Gabriel Bottan; Grafite, Adriano, Sílvio Gomes e Lúcio; Léo Salino (Sávio), Albert e Renan (Michel Benhami); Fabinho Alves, Yago Caju e Ygor (Gabriel Sá)
Técnico: José Luis Silva Peixoto

CRUZEIRO: Fábio; Edílson, Cacá, Léo e João Lucas; Machado, Jadsom (Judivan), Everton Felipe, Maurício, Jhonata Robert e Roberson
Técnico: Adilson Batista

Comentários