‘Medo reina’: Chuva forte esvazia ruas e BH é tomada por apreensão

ruas vazias por causa das chuvas em BH
Avenida dos Andradas ficou “deserta” na tarde desta quinta (Amanda Dias/BHAZ)

Ruas vazias, alerta generalizado e medo… O cenário é o mesmo: mais uma vez, as chuvas que atingem Belo Horizonte geram transtornos e causam confusão na rotina da cidade.

As perdas – materiais e humanas – causadas pelas fortes chuvas das últimas semanas assustaram moradores e fazem o padrão se repetir. Nesta quinta-feira (6), o que se observa em diversas regiões da cidade são ruas vazias e pessoas preocupadas.

Imagens registradas por câmeras da BHTrans nesta tarde mostram algumas das principais vias da cidade com pouquíssimos carros em horários que normalmente seriam mais movimentadas. Entre os registros, as que mais chamam atenção são a avenida Amazonas, na altura da rua Santa Catarina, e a avenida dos Andradas, na altura da Contorno.

Esquina da Av. Amazonas com rua Santa Catarina (Reprodução/BhTrans)
Movimento na av. dos Andradas às 16h13 desta quinta (Reprodução/BhTrans)

‘Só me dá medo’

Nas redes sociais, diversos usuários manifestam o mesmo medo que esvaziou ruas na cidade. Relembrando os estragos recentes, muitos se mostraram preocupados com regiões que já foram palco de inundações, como o Centro de BH, e com as pessoas que vivem nessas áreas.

“Mais de 100 mm de chuva novamente e o medo reina”, publicou uma usuária. “Essa chuva de BH só me dá medo, fico preocupado com geral”, disse um segundo.

Ainda mais água

Nesta quinta-feira (6), a Defesa Civil de BH informou que a quantidade de chuva na capital deve chegar a 100 mm até as 8h de sexta (7). A previsão ainda inclui raios e rajadas de vento.

As informações representam um aumento em um registro já histórico. De acordo com o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), janeiro foi o mês mais chuvosos de todos os tempos em BH. Foram 935,2 milímetros de precipitação, o que representa mais da metade da média esperada para todo o ano de 2020: 1.602,6 mm.

Fevereiro também chegou com força e somente nos primeiros cinco dias as regiões Centro-Sul, Noroeste e Oeste registraram mais da metade do volume esperado para todo o mês.

Confira o acumulado de chuvas (mm) em fevereiro até às 17h dessa quarta-feira:

  • Barreiro – 80,0 (44%)
  • Centro Sul – 158,2 (87%)
  • Leste – 72,6 (40%)
  • Nordeste – 45,6 (25%)
  • Noroeste – 130,8 (72%)
  • Norte – 30,0 (17%)
  • Oeste – 153,6 (85%)
  • Pampulha – 90,4 (50%)
  • Venda Nova – 47,8 (26%)

Enquanto o cenário continua sem alterações, resta aos moradores tomar os cuidados necessários e seguir as recomendações oficiais para tentar seguir a rotina em meio às chuvas sem ser tomados pelo medo.

Recomendações para o período chuvoso

Durantes as chuvas, a Defesa Civil pede para que as pessoas estejam bem atentas. Veja algumas recomendações:

– Redobre a sua atenção! Evite áreas de inundação e não trafegue em ruas sujeitas a alagamentos e próximos aos córregos e ribeirões no momento de forte chuva.

– Não atravesse ruas alagadas ou deixe crianças brincando na enxurrada e nas águas dos córregos.

– Não se abrigue nem estacione veículos debaixo de árvores.

– Atenção especial em áreas de encostas e morros.

– Jamais se aproxime de cabos elétricos rompidos. Ligue imediatamente para CEMIG (116) ou Defesa Civil (199).

– Se você observar o aparecimento de fendas, depressões no terreno, rachaduras nas paredes das casas e o surgimento de minas d’água avise imediatamente a Defesa Civil (199).

– Em caso de raios: não permaneça em áreas abertas e altas, não use equipamentos elétricos

Giovanna Fávero
Giovanna Fáverogiovanna.favero@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG). Escreve com foco na área de Guia e Cultura no BHAZ.