Home Alto-FalanteCasal de buldogue francês é resgatado de maus-tratos e agora espera novo lar

Casal de buldogue francês é resgatado de maus-tratos e agora espera novo lar

cães disponíveis para adoção

Se você é contra a comercialização de animais, mas sempre quis adotar um cão de raça, fique de olho nesta oportunidade: a ONG Vida Animal Livre resgatou dois cachorrinhos que sofriam maus-tratos onde viviam. O casal de animais é da raça buldogue francês e, agora, espera por um novo lar.

Val Consolação, presidente da ONG, conta ao BHAZ que os animais viviam com um casal e passaram a sofrer muito após a separação dos tutores. “Eles tinham um tutor, passaram por uma situação de maus-tratos e nós fomos acionados. Era mais uma situação de maus-tratos psicológicos”, explica.

Leia mais: Sortudo! Apostador de BH ganha sozinho R$ 1,2 milhão na Lotofácil

Após o resgate, feito há 15 dias, os cães foram avaliados por um médico veterinário. Eles não têm nenhum problema de saúde e não estão feridos. Quem tiver interesse em adotá-los deve ter condições de bancar a castração, exigência feita pela ONG especificamente neste caso.

Os interessados podem entrar em contato com Val pelo telefone (31) 99286-1090. Após o contato inicial, passarão por uma etapa de seleção por meio de entrevista.

Val lembra que se trata de uma raça que costuma ter problemas de saúde, portanto o tutor deve estar ciente e ter condições de tratar o animal. “Além da castração, não há nenhum outro gasto além da vacinação e dos gastos já comuns da raça”.

Leia mais: PBH começa a usar drones para monitorar e combater dengue neste mês

Vida animal livre

A ONG Vida Animal Livre foi fundada há dois anos e atua no resgate, cuidado, castração e doação de animais tirados de situações de maus-tratos. Val é ativista há 15 anos e conta que ainda enfrenta dificuldades na presidência da ONG.

“Nós não temos abrigo. A gente, na medida do possível, recolhe animais de rua, deixa eles em lares temporários, cuida deles, castra e coloca para doação”, conta. Eles também realizam feiras de adoção todos os sábados para ajudar a encontrar lares para animais resgatados.

Há ainda a “Castração Ecológica”, outro projeto realizado pela ONG que contribui diretamente para duas causas: a animal e a ambiental. Eles recolhem tampinhas plásticas para reciclagem e, com o dinheiro arrecadado, pagam pela castração dos animais resgatados.

Giovanna Fávero

Giovanna Fávero

Estudante de Jornalismo na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG). Escreve com foco na área de Guia e Cultura no BHAZ.

Comentários