Missionário estupra menina de 4 anos dentro de igreja evangélica

polícia civil itanhaém
Ocorrência foi encerrada na Delegacia de Polícia Civil de Itanhaém (Google Street View/Reprodução)

Uma criança de 4 anos foi estuprada dentro de uma igreja no último domingo (9), em Itanhaém, no litoral de São Paulo. O autor do crime, de 31 anos, atuava no templo religioso como missionário e confessou ter violentado a garota ao ser detido.

Procurada pelo BHAZ, a Polícia Civil do Estado de São Paulo se limitou a informar que o homem “foi preso em flagrante por estupro de vulnerável, praticado contra uma criança de 4 anos, por volta das 13h do último domingo, no bairro Baixo, em Itanhaém”.

Ao G1, a corporação informou que a mãe foi à igreja participar de um culto e levou a criança junto. A menina se deslocou para um local voltado para o público infantil, em busca de um brinquedo. O missionário era responsável pela seção e teria cometido o crime sexual neste momento. Ele é peruano.

A cena foi flagrada pela mãe, que saiu à procura da filha assim que percebeu a ausência dela. Ao chegar na sala, viu o religioso de costas, aparentemente guardando algo nas calças. Em seguida, longe do missionário, a menina relatou o abuso à mãe.

Criança relata abuso

Em conversa com a criança, a mãe questionou o que o homem tinha feito e ela contou sobre o abuso sofrido. O missionário colocou a mão dela nos órgãos genitais dele. A polícia foi chamada e o homem confessou o crime diante de representantes da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Ele disse, em depoimento, ter falado ”besteiras” sexuais no ouvido da menina.

Após o crime, a garota foi submetida a exames de corpo de delito.

A Igreja Adventista do Sétimo Dia lamentou o ocorrido. “A pessoa acusada do crime estava abrigada no templo há poucos dias enquanto participava de um projeto no município”, informou em trecho da nota que pode ser lida na íntegra abaixo.

A congregação afirmou que vem prestando o “apoio necessário para a mãe e vítima”.

Nota da Igreja Adventista do Sétimo Dia na íntegra:

A Igreja Adventista do Sétimo Dia lamenta profundamente o ocorrido em uma de suas congregações na cidade de Itanhaém. A pessoa acusada do crime estava abrigada no templo há poucos dias enquanto participava de um projeto no município.

Logo após a mãe constatar o ocorrido, o pastor local foi acionado, conforme protocolo da organização, e imediatamente chamou a Polícia. O homem foi preso em flagrante e levado à delegacia. Ele segue preso na Penitenciária de Praia Grande.

Neste momento, a Igreja Adventista do Sétimo Dia oferece o apoio necessário para a mãe e a vítima. A instituição repudia qualquer tipo de violência. E, inclusive, promove regularmente ações de conscientização contra o abuso infantil”.

Vitor Fórneas
Vitor Fórneasvitor.forneas@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política.