Faustão cobra ‘vergonha na cara’ da diretoria do Fla por mortes em incêndio, que responde: ‘Inconsequente’

Faustão e incêndio no Ninho
Faustão critica diretoria do Flamengo (TV Globo/Reprodução)

Um ano depois do incêndio no centro de treinamento do Flamengo, que matou dez pessoas, Faustão criticou a conduta dos dirigentes do clube em relação à tragédia. Durante seu tradicional programa na Globo, no último domingo (9), o apresentador deixou claro que considera “inadmissível e indecente” o comportamento da diretoria. O clube carioca respondeu ao dizer que Faustão foi agiu de forma “leviana e inconsequente”.

+ Incêndio no centro de treinamento do Flamengo deixa dez mortos

O incêndio no Ninho do Urubu completou um ano no último sábado (8) e, até hoje, familiares dos jovens que perderam a vida esperam respostas do Flamengo. No domingo (9), o apresentador tornou pública sua indignação com o caso.

“É inadmissível e indecente o comportamento dos dirigentes do Flamengo. O problema não é o dinheiro, porque dinheiro algum vai trazer de volta os filhos, as famílias que perderam crianças de 13 a 14 anos. O problema é, principalmente, caráter, ter sensibilidade”, disse Faustão.

“Como é que esses dirigentes conseguem chegar em casa e olhar filho, olhar neto, com a atitude que eles tomam? Sem nenhum respeito a quem perdeu crianças, como é o caso dessa tragédia. É revoltante em todos os aspectos”, completou ele, sem esconder a revolta.

Em entrevista ao programa Encontro com Fátima Bernardes, na quarta-feira (5), pais das vítimas da tragédia revelaram que não receberam nenhum telefonema do Flamengo. “Sabe como eu fiquei sabendo que meu filho tinha falecido? Se eu não ligasse os canais eu não teria sabido. Ninguém ligou”, contou o pai de um dos garotos.

Seis torcidas organizadas do Flamengo se uniram e organizaram um protesto, que acabou cancelado pelas chuvas na segunda-feira (10), para cobrar respostas da diretoria rubro-negra a respeito do caso. As torcidas garantem que “vão até o fim para resolver com dignidade a vida dos familiares dos nossos 10 meninos do Ninho”.

Ainda durante o Domingão, Faustão elogiou a atitude dos torcedores e, mais uma vez, criticou a diretoria. “Isso é para tentar fazer com que esses dirigentes tenham o mínimo de caráter, de juízo, de vergonha na cara. Graças a Deus, o torcedor está fazendo esse tipo de trabalho”, finalizou o apresentador.

‘Leviana’

Em resposta às críticas, o Flamengo emitiu uma nota afirmando que Faustão agiu de forma “leviana e inconsequente” ao acusar os dirigentes de agirem de forma desrespeitosa nas negociações com as famílias das vítimas.

“Mostrando seu total desconhecimento sobre o caso, o apresentador da Rede Globo, sob a desculpa de apoiar uma possível manifestação de torcedores – hoje cancelada – destilou uma série de acusações infundadas que, além de atacar a honra dos dirigentes, acabaram também por atingir a imagem da instituição Flamengo”, diz um trecho do comunicado (leia na íntegra abaixo).

Na nota, foram listadas as atitudes que a diretoria já tomou em relação à tragédia no Ninho do Urubu, como receber as famílias no Rio de Janeiro, pagar uma ajuda de custo mensal e manter contato com todas elas por meio de advogados.

Nota oficial

“Na noite do último domingo (9/02), durante o programa Domingão do Faustão, da Rede Globo de Televisão, o apresentador Fausto Silva acusou, de forma leviana e inconsequente, as diretorias (passada e atual) do Clube de Regatas do Flamengo de agirem de forma desrespeitosa nas negociações com as famílias das vítimas do incêndio no Ninho do Urubu.

Mostrando seu total desconhecimento sobre o caso, o apresentador da Rede Globo, sob a desculpa de apoiar uma possível manifestação de torcedores – hoje cancelada – destilou uma série de acusações infundadas que, além de atacar a honra dos dirigentes, acabaram também por atingir a imagem da instituição Flamengo.

O apresentador Fausto Silva desconhece, ou preferiu omitir, todo o trabalho que o Flamengo tem feito para minimizar os efeitos desta que foi a maior tragédia do Clube em seus 124 anos de existência:

  • Não falou que 19 famílias e meia, das 26 atingidas pela tragédia, já entraram em acordo no que diz respeito às indenizações.
  • Que o Flamengo, desde o primeiro momento da tragédia, trouxe familiares de todas as vítimas para o Rio de Janeiro e os hospedou em um hotel para que pudessem acompanhar de perto as apurações das autoridades competentes. O mesmo aconteceu com as famílias residentes no Rio de Janeiro.
  • Que, por iniciativa própria, o Clube pagava, desde fevereiro de 2019, uma ajuda de custo mensal no valor de R$ 5 mil, ou seja, seis vezes maior do que a média que os atletas recebiam. Desde o fim do ano passado o valor pago pelo clube passou para R$ 10 mil.
  • Que, desde o primeiro momento, o Flamengo disponibiliza assistência médica, pedagógica, psicológica e social para as vítimas e seus familiares.
  • Que o Flamengo ofereceu a todas as famílias um valor muitas vezes superior ao que a Justiça brasileira costuma determinar em casos como este.
  • Que o Clube mantém sim contato com as famílias, inclusive por meio dos advogados constituídos por elas próprias para representá-las.

Todos estes pontos poderiam ser facilmente levantados pela equipe de produção da Rede Globo de Televisão antes das acusações. Como isto não foi feito, infelizmente nos leva a crer que tamanha agressividade tem como pano de fundo interesses comerciais não atendidos e que se sobrepõem ao trabalho de informar corretamente aos telespectadores.

Isto, ao nosso ver, constitui abuso de direito e tentativa de indução negativa da opinião pública, algo inadmissível do ponto de vista moral e ético.

Por fim, o Flamengo reitera que sempre esteve – e continua – à inteira disposição das famílias para o diálogo e assim seguirá até que todas sejam indenizadas de forma justa.”

Sofia Leão
Sofia Leãosofia.leao@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco na editoria de Esportes no BHAZ.