Home NotíciasEsportesSuado! Cruzeiro passa aperto contra São Raimundo, mas garante classificação e R$ 1,3 milhão

Suado! Cruzeiro passa aperto contra São Raimundo, mas garante classificação e R$ 1,3 milhão

cruzeiro sao raimundo copa do brasil

Por Beatriz Kalil Othero

Ainda está longe do que o cruzeirense deseja – e merece. A Raposa não conseguiu superar o São Raimundo de Roraima, que disputa a Série D do Brasileirão – e, mais do que isso, passou aperto. Mas conseguiu segurar o empate de 2 a 2 na noite desta quinta (13), no estádio Canarinho (que estreou gramado novinho), em Boa Vista, e garantiu a classificação na Copa do Brasil – e, com isso, mais R$ 1,3 milhão.

O próximo compromisso do clube celeste é, pelo Campeonato Mineiro, no domingo (16). A Raposa vai viajar novamente, desta vez para Patrocínio, enfrentar a Patrocinense. Dependendo de uma combinação de resultados, pode até retomar a liderança, mesmo com um jogo a menos.

Estádio lotado – de vaias também

Os pouco mais de 4 mil ingressos se esgotaram, com o estádio repleto de torcedores de diferentes times, além dos dois que duelaram. O Cruzeiro não só jogou fora de casa, como também encontrou território hostil: a maioria do público estava torcendo contra o time mineiro. Diante de pessoas usando camisas de variadas cores e origens, ouviu-se muitas vaias e gritos ironizando a recente queda do clube para a segunda divisão.

Tardou, mas engrenou

O jogo começou truncado, como era de se esperar: ambos os times estavam marcando em cima. Até que, aos 16 do 1T, o clima começou a virar: o cruzeirense Roberson soltou uma bomba de dentro da área, e a bola explodiu na trave. Aos 21, seu companheiro Jhonata tirou tinta da trave.

E até que, aos 25, o Mundão, como o time roraimense é chamado, abriu o placar: depois de uma cobrança de falta com bola na área, o zagueiro Veracruz mandou para o gol. Um jogador do time da casa estava impedido no início da jogada, o que deixou o gol irregular. Mas como a Copa do Brasil não possui VAR nas fases iniciais, 1 a 0 para o São Raimundo.

Depois do gol, a conhecida cera. Como o resultado momentâneo que garantia a classificação para a próxima fase da competição nacional, o Mundão começou a enrolar. E foi punido por isso: o goleiro Eder levou cartão amarelo após demora na reposição de bola.

Edu: salvo pelo gol

O Cruzeiro não se deixou abalar pelo gol sofrido, e a pressão do time mineiro aumentou. Depois de dois lances perigosos com Maurício e Roberson, aos 33 do 1T, Edu ganhou a jogada, girou e chutou cruzado. A bola desviou em Veracruz e tirou qualquer chance de defesa para Eder: 1 a 1. O curioso é que Judivan já estava se preparando ao lado do campo para substituir Edu, mas o gol fez o técnico Adilson Batista mudar de ideia.

Amarelos e polêmica

Em menos de 10 minutos, o juiz Alexandre Vargas Tavares de Jesus distribuiu 3 cartões amarelos: Edilson, Edu e Juca Maranhão foram advertidos. E no último lance, aos 47 do 1T, os jogadores do Cruzeiro reclamaram de um possível toque de mão do lateral Alex, mas o juiz não viu falta e finalizou o primeiro tempo.

A virada não tardou…

Certamente, a velocidade dos “crias da Toca” é um dos elementos que vêm definindo o Cruzeiro de 2020. A virada do time mineiro veio com um contra ataque mortal, aos 4 do 2T. Depois de troca de passes rápida, Judivan, limpou, passou para Maurício, que, por sua vez, cruzou rasteiro para o atacante Alexandre Jesus apenas empurrar para o gol.

Após a virada, o jogo esfriou, e o Cruzeiro só chegou novamente aos 15, com um cabeceio de Jesus para fora, depois de escanteio cobrado por Maurício.

… e o empate também não

O alívio cruzeirense durou pouco. Aos 20, depois de Alex cruzar (livre de marcação), o centroavante Stanley, que entrou no 2T, pegou de primeira, chutou uma bola venenosa e tirou qualquer possibilidade para o goleiro Fábio. O empate do Mundão provocou gritos persistentes de “eu acredito” da torcida, lembrando o famoso cântico da torcida do Galo.

Dá-lhe pressão do Mundão

O mesmo Stanley se animou, e, aos 23 e 25 do 2T, ameaçou novamente o gol cruzeirense, cabeceando para fora em ambos os lances. E o São Raimundo procurava tanto pela vitória, que teve até simulação de pênalti: o juiz não perdoou, e advertiu o atacante Igor Fellipe com cartão amarelo.

Final dramático com +5 min

Aos 32 do 2T, o cruzeirense Edu exagerou na chegada ao adversário, e levou o segundo amarelo, desfalcando o time mineiro nos minutos finais. Era só o começo do drama cruzeirense, e o clube lutava como podia.

Mesmo com um homem a menos, o Cruzeiro arriscou um ataque com Roberson dentro da área, aos 40 do 2T, e a bola subiu por cima do gol. Quatro minutos depois, Igor Fellipe girou e lançou uma bomba, mas que passou longe da área defendida por Fábio.

O árbitro não economizou nos acréscimos, somando 5 minutos à etapa final, mas o placar continuou o mesmo: 2 a 2, Cruzeiro classificado para a próxima fase, contra o Boa Esporte – e, claro, aliviado.

FICHA TÉCNICA
SÃO RAIMUNDO-RR 2 x 2 CRUZEIRO

Local: Estádio Canarinho, Boa Vista (RR)
Data: 13 de fevereiro de 2020, quinta-feira
Horário: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Alexandre Vargas Tavares de Jesus (RJ)
Assistentes: Carlos Henrique Alves de Lima Filho (RJ) e Diogo Carvalho Silva (RJ)

Gols: Veracruz, aos 25 minutos do primeiro tempo; Stanley, aos 19 minutos do segundo tempo (São Raimundo); Edu, aos 33 minutos do primeiro tempo; Alexandre Jesus, aos 4 minutos do segundo tempo (Cruzeiro)
Cartões amarelos: Eder, Juca Maranhão, Alex, Alan Caruaru, Igor Fellipe (São Raimundo); Edílson, Edu (Cruzeiro)
Cartão vermelho: Edu (Cruzeiro)

SÃO RAIMUNDO: Eder; Alex, Veracruz, Alan Caruaru e Bruno Maia; Juca Maranhão (Igor Fellipe), Belão (Klebinho) e Emerson; Ygor, Marcos Felipe e Vanílson (Stanley).
Técnico: Chiquinho Viana

CRUZEIRO: Fábio; Edílson, Cacá, Léo e João Lucas; Edu, Adriano e Mauricio (Arthur); Jhonata Robert (Judivan (Pedro Bicalho)), Roberson e Alexandre Jesus.
Técnico: Adilson Batista

Comentários