Home NotíciasBrasilSilas Malafaia incentiva ida de fiéis a igreja em meio à pandemia de coronavírus: ‘Enfrente o medo’

Silas Malafaia incentiva ida de fiéis a igreja em meio à pandemia de coronavírus: ‘Enfrente o medo’

silas malafaia

Em meio à pandemia do novo coronavírus, o pastor e empresário Silas Malafaia disse que só fechará a Assembleia de Deus Vitória em Cristo por determinação da Justiça. Para evitar aglomerações, o MPRJ (Ministério Público do Rio Janeiro) entrou com um pedido para que os cultos fossem suspensos, mas a Justiça negou. Na Coreia do Sul, uma igreja é responsável por mais de 60% dos casos.

“Em nome de Jesus, nenhum mal te sucederá nem praga alguma chegará à tua casa”. Ao citar o salmo 91 da Bíblia Sagrada, o pastor diz que os fiéis não devem temer o novo coronavírus. A declaração foi feita após João Dória (PSDB), governador de São Paulo, recomendar que templos e igrejas da capital paulista e região metropolitana suspendam cultos e missas que tenham aglomerações de pessoas.

Em vídeo publicado pelo pastor, ele pede para que as pessoas enfrentem o medo. “Se tudo fechar, vai ter uma portinha aberta na minha igreja e vou estar lá. Eu sou pastor, e na hora da crise eu não posso ficar trancado na minha casa, caso alguém desesperado chegue na igreja. Não vai ter culto, mas vai ter uma porta da minha igreja aberta”.

Justiça nega

A Justiça, por meio do juiz Marcello de Sá Baptista, do Plantão Judicial, negou o pedido do MPRJ nessa quinta-feira (19). “O Poder Executivo não determinou a interrupção de cultos religiosos até o momento. O Poder Legislativo não criou lei neste sentido. Não pode o Poder Judiciário avocar a condição de Legislador Positivo e regulamentar uma atividade, em atrito com as normas até agora traçadas pelos órgãos gestores da crise existente”, justificou o magistrado em decisão.

No documento, o juiz também diz que “o direito à participação em cultos religiosos não foi afastado, até o momento, através do Decreto do Estado do Rio de Janeiro, que constitui um dos fundamentos do pedido [do MPRJ]”.

Em complemento, o magistrado ainda afirma que “naturalmente, todos os cidadãos deveriam seguir as recomendações previstas, para que seja contida a transmissão em massa do vírus, que provoca a Covid-19. “Não podemos perder de vista, o que é uma recomendação e um dever imposto ao cidadão”.

Coreia do Sul

Na Coreia do Sul, o pastor Lee Man-hee, da Igreja Shincheonji de Jesus, se ajoelhou e pediu desculpas durante uma entrevista coletiva, segundo o Metro UK. Mais de 60% dos 4 mil casos confirmados no país asiáticos são de fiéis da igreja, sendo 28 mortes. Agora, o pastor é investigado pelo Ministério Público coreano por negligência.

Pastor Lee Man-hee pede desculpas de joelhos (Metro UK/Reprodução)

O pastor prometeu levar 144 mil pessoas com ele para o céu no Dia do Julgamento, que ele inaugurará durante sua própria vida. Durante a entrevista coletiva, a voz do pastor estava falhando quando ele ofereceu seu “sincero pedido de desculpas ao povo”. Ele disse: “Busco o perdão do povo. Sou muito grato ao governo por seus esforços. Eu também busco o perdão do governo”.

Comentários