Home VariedadesFernando Caruso ironiza empresários e propõe solução para crise: ‘A gente mata só esses 20 [mais ricos]’

Fernando Caruso ironiza empresários e propõe solução para crise: ‘A gente mata só esses 20 [mais ricos]’

Caruso sugere morte dos mais ricos

O ator global Fernando Caruso publicou no Twitter um vídeo em que apresenta uma nova proposta para resolver a crise nacional causada pela pandemia do coronavírus. A ideia de Caruso é matar os 20 mais ricos do país e redistribuir suas fortunas para os mais pobres poderem passar pela quarentena.

Apesar de violenta, a sugestão de Caruso é somente uma brincadeira. O ator está fazendo uma crítica aos diversos empresários que se manifestaram contra a quarentena no Brasil. Para esses dirigentes, alguns milhares que morrerem por conta do coronavírus é aceitável perto do risco da crise econômica. “E eu vou dizer que eu concordo com eles, realmente são números melhores”, ironizou Caruso.

A ideia do ator para melhorar a situação seria matar os 20 mais ricos do país e distribuir suas fortunas entre aqueles que têm a menor renda. Assim, toda a população teria como passar o período necessário de quarentena. “É um número melhor, né? Ao invés de ter 7 ou 10 mil, a gente pode ter só 20. Então, eu acho que eles vão concordar, né?”, provocou o humorista.

Nos comentários do vídeo, nem todos pareciam ter entendido a ironia do humorista. “Tese inteligente, mas é meio perturbador tudo isso. Decidir quem vive e quem morre”, comentou uma seguidora de Caruso. O humorista então respondeu que realmente é perturbador. “Queria que eles não tivessem colocado essa ideia na cabeça de ninguém!”, acrescentou.

Por outro lado, alguns internautas entraram na brincadeira. “Acho inclusive um dever patriótico desses vinte. Para que o Brasil esteja acima de tudo, eles devem se apresentar”, escreveu um usuário do Twitter.

Grandes empresários contra isolamento social

A provocação de Caruso foi causada pelos comentários de grandes empresários brasileiros. Um deles é o dono da rede de restaurantes Madero, Junior Durski, que afirmou que o Brasil não pode parar “por conta de 5 ou 7 mil que vão morrer”.

+ Dono do Madero diz que o Brasil não pode parar ‘por conta de 5 ou 7 mil que vão morrer’

Outro que colocou a situação econômica acima da saúde da população foi um dos sócios do restaurante Giraffas, Alexandre Guerra. O empresário fez um vídeo em que tenta assustar trabalhadores com a possibilidade do desemprego. “Ao invés de estar com medo de pegar esse vírus, você deveria também estar com medo de perder o emprego”, disse.

+ Roberto Justus diz que ’15 mil mortos é número muito pequeno’ e acaba ‘demitido’: ‘Devia ficar calado’

Guilherme Gurgel

Guilherme Gurgel

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco nas editorias de Cidades e Variedades no BHAZ.

Comentários