Home NotíciasCoronavírus‘Parcela da população tem que ser contagiada’, diz presidente da Fiemg em áudio sobre o coronavírus

‘Parcela da população tem que ser contagiada’, diz presidente da Fiemg em áudio sobre o coronavírus

Presidente da Fiemg é a favor de isolamento somente de idosos

O presidente da Fiemg (Federação das Indústrias de Minas Gerais), Flávio Roscoe, defende o isolamento somente de idosos por conta da pandemia da Covid-19 e afirma que uma parcela da população precisa ser infectada para a crise do coronavírus passar. As declarações foram feitas em áudio enviado a membros da entidade.

Na gravação de pouco mais de três minutos, Flávio afirma que uma “crise de dimensão nunca vista” está por vir após a pandemia do novo coronavírus. Segundo ele, “fome, recessão e desemprego também matam”.

Leia mais: Brasil tem 514 mortes por Covid e 24.746 novos infectados em 24 horas

Diagnosticado há uma semana com coronavírus depois de integrar a comitiva do presidente Jair Bolsonaro em viagem aos Estados Unidos, Flávio é contra os decretos de governadores e prefeitos sobre o não funcionamento de indústrias por conta da enfermidade.

“Tenho visto nos últimos dias medidas cerceando atividades econômicas, cerceando as indústrias, inclusive sendo apoiadas por setores industriais. Infelizmente, entendo que esta é uma posição equivocada. Começarei a defender agora posição de que temos de voltar à normalidade”, diz em um dos trechos.

O presidente da Fiemg justifica o posicionamento dizendo que na China a população até 50 anos não é atingida pelo vírus. “Na China, entre 0 e 10 anos não teve uma criança que foi a óbito”, afirmou.

Leia mais: VÍDEO: Prefeito de São João del-Rei diz que reabrirá até prostíbulos

A OMS (Organização Mundial de Saúde), no entanto, já informou o registro de mortes de crianças por conta da Covid-19 no mundo. A entidade não informou as localidades dos óbitos.

Contágio na população

Roscoe não vê necessidade de todas as pessoas ficarem em quarentena e defende que isso aconteça somente com os idosos. O presidente defende afirma que as medidas tomadas por chefes dos Executivos municipal e estadual são “insensatas”.

“O que temos de fazer neste momento é isolar os mais velhos e tentar tocar a vida o mais normal possível. Infelizmente, governadores, prefeitos, movidos pela demanda popular e da imprensa, estão tomando medidas insensatas, medidas que têm efeito nocivo na economia, que não sabemos calcular ou dimensionar. E que, depois do estrago feito, vai ser tarde demais. Sei que é uma posição que vai contra muito do que tenho ouvido aí”, afirma.

Para a “crise do vírus” passar Flávio acredita ser necessário que “uma parcela significativa da população tem que ser contagiada”, conforme disse no áudio.

Procurada pelo BHAZ para repercutir o áudio circulado, a Fiemg enviou uma entrevista concedida por Flávio sobre a Covid-19.

O presidente da entidade defendeu o fechamento de locais com aglomerações de pessoas, mas afirmou, mais uma vez, ser favorável ao funcionamento de indústrias, desde que medidas para “mitigar o contágio” aconteçam, como troca de turno em horários espaçados e a disponibilização de álcool em gel para os funcionários.

“A indústria gera produtos para a sociedade consumir. Tenho defendido que a indústria seja preservada”, disse.

Vitor Fórneas

Vitor Fórneas

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política.

Comentários