Belo-horizontino infectado com Covid-19 faz desabafo: ‘Experiência mais dolorosa e desesperadora’

Jovem com coronavírus em BH
Estudante chegou a ficar internado em BH (Arquivo pessoal/André Castro + Shutterstock/Reprodução)

“Foi a experiência mais dolorosa e desesperadora”. É desta forma que André Castro, de 25 anos, descreve os momentos que passou após contrair a Covid-19 – o novo coronavírus. O jovem não faz parte do grupo de risco da doença, mas foi infectado e está em quarentena na casa da família no bairro São Pedro, região Centro-Sul de Belo Horizonte.

Ao BHAZ, o estudante de medicina contou que a dificuldade em respirar e as dores pelo corpo eram tantas que “sequer consegue descrever”. No começo do mês, André teve contato com uma pessoa contaminada pelo vírus. Os sintomas, porém, começaram a aparecer no fim da primeira quinzena.

“Por volta do dia 14 a tosse, coriza e dores no corpo vieram. Dois dias depois muita falta de ar e muita, mais muita dor nas costelas e costas. Coisa de outro mundo”, relembra. André procurou um hospital da rede particular para fazer a triagem e por lá encontrou um amigo, da mesma idade, com sintomas parecidos.

Jovem ficou isolado em quarto de hospital com outras pessoas suspeitas para o Covid-19 (Arquivo pessoal/André Castro)

“Uma tomografia foi feita para ver como o pulmão estava, porém não apresentou nenhuma anormalidade. Mandaram eu voltar para a casa e ficar em isolamento durante um período de 14 dias, o prazo encerra na próxima segunda. Deram-me também um pedido de exame”.

A SMSA (Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte) foi notificada sobre o caso e o jovem passou a ser acompanhado.

Dores voltam

Apesar de ter ido para casa, André precisou retornar à unidade de saúde. As fortes dores voltaram e a dificuldade de respirar era muito grande. “Liguei para um amigo médico e pela minha fala ele percebeu que eu respirava muito por minuto. Além disso, aquelas dores tremendas nas costelas e costas tinham voltado”, conta.

André ficou internado durante uma noite e o restante do outro dia. No hospital foi necessário usar aparelhos para ajudá-lo a respirar. Já em casa, ele segue tomando a medicação receitada. O jovem foi submetido ao teste de Covid-19 pela Secretaria de Saúde de BH e recebe acompanhamento todos os dias.

“A equipe da secretaria veio aqui [na casa] e colheu o material. Nessa terça-feira o resultado saiu e deu positivo. Recebo ligações diariamente da secretaria para saber como estou”, conta.

‘Não menospreze o vírus’

O universitário segue em isolamento e diz ter melhorado. “Estou bem melhor, nem se compara com antes. Ainda tenho dores e falta de ar. Tirando isso, o meu apetite já voltou e consigo falar ao telefone sem precisar fazer pausas para respirar”, comemora.

Neste momento de pandemia do Covid-19 pelo Brasil, André faz um apelo. “A gente pensa que pessoas jovens não pegam a doença. Não menospreze o poder do vírus, fique em casa, assim podemos evitar a propagação dele. Digo isso pois é desesperador passar por tudo isso. Eu chorava de dor e por não conseguir fazer algo tão simples: respirar. Sentia dores ao tentar puxar o ar e muitas vezes não conseguia”, diz.

André usa máscaras quando entra em contato com a mãe (Arquivo pessoal/André Castro)

André defende a quarentena e exemplifica com casos vividos por amigos no exterior. “Alguns amigos moram na Itália e por lá eles estão em quarentena obrigatória. Só saem, uma vez por dia, para comprar alimentos e com autorização. Lá houve o isolamento voluntário no começo, mas depois todos voltaram às atividades normais e virou esse monstro. O isolamento é a melhor prevenção”, explica.

Cuidados

A quarentena de André segue alguns cuidados, como o uso de máscaras ao conversar com a mãe, de 55 anos. “Quando fico no quarto não é necessário usar, somente quando tenho contato com minha mãe”, disse.

Belo Horizonte segue sendo a cidade mineira com o maior número de casos confirmados da doença: 96. Em toda Minas Gerais são 153 casos positivos da Covid-19. A Secretaria de Estado de Saúde segue investigando outros 17.409. Nenhuma morte foi registrada.

Cuidado redobrado ao receber comidas pedidas em app, nada de contato com entregador (Arquivo pessoal/André Castro)
Vitor Fórneas
Vitor Fórneasvitor.forneas@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política.