Home NotíciasBHMédica diagnostica bebê com Covid-19 e não tem teste para confirmar: ‘Ele teve dificuldades para respirar’

Médica diagnostica bebê com Covid-19 e não tem teste para confirmar: ‘Ele teve dificuldades para respirar’

Falta de teste impediu a confirmação da doença no bebê

Um bebê de 1 ano e 3 meses foi diagnosticado com Covid-19, em Belo Horizonte, na madrugada desta segunda-feira (30). Os sintomas apresentados pelo pequeno Miguel foram fundamentais para o diagnóstico, já que o teste não foi feito devido à escassez do recurso no Estado.

A avó de Miguel, Eunice Costa, conta ao BHAZ que o neto estava com sintomas de gripe durante o domingo (29). “O narizinho dele escorria e isso fez ele passar o dia enjoadinho. Durante à noite o quadro dele piorou com muita tosse, febre alta e dificuldades para respirar”.

O menino foi levado até um hospital da região Leste da capital e assim que foi atendido veio o diagnóstico: Covid-19. Apesar da confirmação, nenhum exame foi feito. “A médica disse que não tem teste disponível para todos, só para os pacientes internados. Ela afirmou que todos os sintomas eram de coronavírus”, revela Eunice.

Leia também:  Briga de trânsito entre PMs termina com um deles gravemente ferido na Grande BH

Nesse domingo (29), o BHAZ trouxe a denúncia de médicos e enfermeiros sobre a falta de testes. Os profissionais ouvidos pela reportagem disseram que a maior parte dos pacientes testados já estão entubados ou nos CTIs (Centro de Terapia Intensiva).

Com a subnotificação de casos, os mineiros ficam sem saber o tamanho do problema e podem afrouxar os cuidados. O resultado pode ser catastróficos: mais pessoas infectadas e disseminando o vírus.

+ Médicos e enfermeiros denunciam subnotificação do Covid-19 em Minas e escassez de equipamentos

Os médicos que atenderam Miguel informaram que a situação na rede de saúde em BH “está um caos”, mas não há divulgação sobre o assunto.

‘Susto enorme’

Miguel já está em casa e foi medicado com remédios usados no combate da H1N1. A criança precisou realizar três inalações antes de receber alta.

Leia também:  Minas tem 10,6 mil casos de Covid-19 e pico da doença passa para a segunda metade de julho

“Depois que chegou (em casa), ele apresentou melhora. Não estou ouvindo ele chorar. Agora, eu, meu esposo e minha filha estamos isolados, já que tivemos contato com ele durante todo o domingo”, acrescenta.

Mesmo sem a confirmação via exame, Eunice conta o susto que a notícia representou para a família. “É uma situação pavorosa. A gente leva um susto, fica sem chão, pois só pensa no pior. Eu e meu marido somos do grupo do risco”, revela.

Pedido

Diante do quadro do neto, Eunice faz um apelo. “Fiquem em casa. Tenho visto que as pessoas, infelizmente, não estão levando a doença à sério. Basta ver como a orla da Pampulha estava cheia no final de semana. Nós que estávamos isolados tivemos um caso na família, imagina quem fica exposto”, afirma.

Leia também:  Zema anuncia programa para 'salvar' setores da Cultura e Turismo em MG: 'Gostaria de fazer mais'

Covid-19 em Minas

A SES-MG (Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais) confirmou, na manhã desta segunda-feira (30), a primeira morte provocada pela Covid-19 no Estado. Trata-se de uma mulher de 82 anos, que estava internada no hospital Biocor, em Nova Lima, na região metropolitana de BH.

+ Governo de Minas confirma 1ª morte por coronavírus no Estado: Moradora de BH de 82 anos

Além da morte confirmada, Minas tem ainda 23 óbitos que podem estar associados ao novo coronavírus e estão em investigação. Até o momento, são 29,7 mil casos suspeitos no Estado e 261 confirmados.

Vitor Fórneas

Vitor Fórneas

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política.

Comentários