Home NotíciasCoronavírusGovernantes italianos se revoltam com moradores que saem de casa: ‘Isso não é um filme’

Governantes italianos se revoltam com moradores que saem de casa: ‘Isso não é um filme’

governantes italia revoltam

Vendo o país passar por um verdadeiro momento de caos, prefeitos e governadores italianos resolveram dar broncas para convencer a população a ficar em casa e respeitar o isolamento social. Um prefeito chegou a abordar um homem em um parque e ameaçar chamar a polícia para que ele saísse da rua.

Antonio Decaro, prefeito da cidade de Bari, abordou um morador que estava em um parque à beira do mar e ordenou que ele voltasse para casa. “Você deve respeitar, tem um decreto! Todos devem ficar em casa, caso contrário a polícia virá e usará a força para levá-lo”, disse o governante, enfurecido.

Políticos de todo o país fizeram declarações públicas dando broncas em quem quer sair de casa durante a pandemia do novo coronavírus. Alguns dos manifestos em tom raivoso chegaram a despertar risadas nas redes sociais, apesar de se tratarem de um assunto sério.

Leia também:  Site da PBH mostra informações sobre reabertura da economia na capital

“Esses malditos cabeleireiros que vão de casa em casa para arrumar o cabelo das mulheres. Para que servem eles? Vocês entenderam que os caixões estão fechados? Quem verá esses belos penteados nos caixões? Você entende que, em vez de lhe trazer spray de cabelo, a pessoa de trará coronavírus?”, questionou o prefeito de Lucera, Antonio Tutolo.

Leia também:  Minas ultrapassa os 10 mil casos confirmados de Covid-19

Em tom sério, o governador da Calábria, Giuseppe Falcomata criticou um homem que caminhava com o cachorro pela rua: “Olha, isso não é um filme. Você não é o Will Smith em ‘Eu sou a Lenda’, então vá para casa!”.

Na última sexta-feira (27), a Itália bateu seu próprio recorde e registrou 919 mortes pelo Covid-19 em 24 horas. Até esta sexta-feira (3), o país registra 14.681 óbitos e 119.827 casos de infecção pelo novo coronavírus. Nesta manhã, o chefe da Defesa Civil italiana, Angelo Borrelli prorrogou o confinamento no país, pelo menos, até 2 de maio. 

Comentários